terça-feira, 30 de dezembro de 2003

De novo a Casa Pia

Segundo o jornal "Público", "Pedroso - que contava com esta evolução do processo - explicou no referido comunicado que tenciona suspender o mandato para "para preservar o Parlamento e o PS de efeitos colaterais da difamação" que sobre ele diz recair."

E porque razão Pedroso não pensou em preservar o pensamento quando foi para lá festejar o fim da sua prisão preventiva? E voltar a ser deputado contribuiu para alguma coisa?

E "MP Quer Que Pedroso e Marçal Voltem a Estar em Prisão Preventiva". Se calhar vai voltar à antiga casa...

quinta-feira, 25 de dezembro de 2003

Balanço do Natal

Gostei de estar com a familia. Esta quadra aproxima mais os familiares e cria um ambiente muito aprazível. E mais logo há mais...
Gostei das paparocas, e vou continuar a gostar mais logo.....
Gostei de receber e de dar presentes. Mas, fazendo uma análise fria constatei: tanta coisa inútil que dei e recebi! As pessoas têm uma obrigação de dar e, como já a imaginação não abunda, é difícil saber-se o que as pessoas já têm, o que interesse é dar qualquer coisa, por mais inútil que seja, surgem as coisas inúteis e as duplicações.
Os comerciantes e as grandes cadeias agradecem. Mas nós não ganhamos nada com isso. O dinheiro custa a ganhar para quem trabalha e sentir que o destino que lhe damos é um vazio, não torna ninguém mais feliz.
Deviamos dar e receber mais livros, menos coisa de cozinha. Mais CD's e DVD's e menos cenas de decoração. E tanta coisa repetida e/ou inútil que se recebe...
E as pessoas quase ficam ofendidas se damos uma lembrança. Mal recebem a oferta os olhos parecem autênticas teclas de calculadora a imaginar o preço e, só depois, vem o sorriso "pré-formatado" ou o sincero do apreço.
São quase 3 da matina e eu com divagações..... daqui a umas horas tenho mais Natal para celebrar....mais ofertas para trocar....
Porque tenho que passar o Natal a levar com....

Filhoses e Pais Natais.

Hello? Sai um dicionário para a estação de Carnaxide!
Quando os jornalistas da SIC falam assim, como querem que o povo fale bem...

segunda-feira, 22 de dezembro de 2003

Segundo o Expresso: Cavaco Silva candidato

Espero que sim. Assim, Santana Lopes mantém a CM Lisboa.
E Cavaco deverá ganhar a Guterres.

Santana Lopes na passada semana, na SIC, falou que estava muito feliz na CM Lisboa e que esta seria sempre a sua primeira prioridade. Pareceu-me uma inflexão de discurso... se calhar já sabia que Cavaco estava no terreno.

Mas, sempre pensei que Cavaco não seria candidato. Em Março, quando lançar o 2º volume da autobiografia, veremos...
Benfica-Sporting

Já comprei bilhete! Informo todos os benfiquistas algarvios que a Casa do Benfica de Faro vende bilhetes (para sócios e não sócios) para todos os jogos do Benfica na Luz, pois dispõe de um sistema ligado ao Benfica. A malta chega ali, vê no monitor os lugares disponíveis, escolhe e compra o bilhetinho. Sem ter que ir à capital. É o progresso.
Sempre à frente da concorrência....

sábado, 20 de dezembro de 2003

Feliz Natal e um Próspero Ano Novo

sexta-feira, 19 de dezembro de 2003

Brincar aos Referendos

Um assunto que foi referendado, apesar deste não ter sido válido, não deverá sofrer alteração sem ser através de novo referendo. Se este principio não for respeitado estaremos a matar a instituição do referendo e a dizer aos eleitores que se votarem "não" num certo referendo os partidos políticos arranjarão forma de o transformar em "sim" na Assembleia da República.

Referendos sucessivos até que dê o resultado que queremos parece-me errado, pois estaremos a dizer "enquanto não der o resultado que queremos continuaremos a fazer referendos".

Aproveito para dizer que votei "sim" no referendo sobre o aborto, mas a maioria dos Portugueses que participaram votaram "não". Apesar de o referendo não ter validade (menos de 50% dos eleitores votaram), não podemos ignorar os resultados e, aí, a maioria disse "não". Se tivesse existido um "sim" no referendo sem atingir os 50% de votantes, admitiria que a Assembleia da República legislasse nesse sentido. Como deu "não", parece-me essa situação insustentável.

Estranha-se a posição do PS, que se lembrou do assunto devido ao julgamento de Aveiro e que depois do referendo (1998, 1999, 2000 e 2001) não apresentou na Ass. República nenhuma proposta para alterar a lei. Oportunismo é o nome que se dá a estas coisas.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2003

Para reflectir: Um sorriso é...

... a forma mais rápida de duas pessoas comunicarem
Criatividade e Gestão das Emoções

Estou a frequentar a acção de formação com este nome na ANJE, em Faro, e posso-vos dizer que está a ser um sucesso.
Conhecemos muito pouco sobre o nosso cérebro e sobre o ser humano em geral e o pouco que estou a aprender está-me a agradar bastante. As inteligências das duas partes do cérebro, o pensar positivo, o valorizar as coisas boas em detrimento das más, a forma de as pessoas se relacionarem, o acreditarmos sempre em nós e gostarmos de nós, enfim, vários aspectos muito interessantes sobre os seres humanos.

Sempre achei a área comportamental um pouco "tanga de paz e amor", mas esta acção está a ser deveras útil.
Até já estou mais criativo! ;-)
Para reflectir: Um hábito é...

...a vitória do tempo sobre a vontade.

terça-feira, 9 de dezembro de 2003

A nossa vida está a melhorar....

Apesar de se falar tanto em crise, os indicadores começam a melhorar. Está na altura de se fazerem análises sérias aos indicadores existentes em vez de ir espalhando que estamos muito mal a ver se pega. Uma mentira repetida vezes sem conta torna-se real.

Segundo o INE, o indicador de clima económico e o indicador de actividade económica têm vindo a subir desde meados do ano, deixando a tendência decrescente e passando a uma fase nitidamente crescente. O indicador de actividade económica (Set. 03) já está ao nível de Março 2002, quando se deram as legislativas. O de clima económico (Out. 03) continua no sentido crescente, mas ainda ao nível de meados do 2º semestre de 2002.

O desemprego no Algarve continua a crescer, mas a um ritmo cada vez mais baixo. E a situação não é muito grave, apesar de cada desempregado ser um problema social. Sabiam que nos últimos 11 anos só houve 4 anos com um número de desempregados inscritos mais baixo do que em 2003?

Importa realçar as coisas boas, o que está a melhorar. Chega de traçar o panorama com cores entre o cinzento e o preto!
10 Presidentes de Câmara da zona do Porto apoiam a recandidatura de Pinto da Costa

Uma coisa destas acontece nalgum País desenvolvido?

quinta-feira, 4 de dezembro de 2003

Fransisco Sá Carneiro

Até sempre!

Sá Carneiro

19 de Julho 1934 - 4 de Dezembro de 1980

quarta-feira, 3 de dezembro de 2003

O Ministro e o Tempo

Sr. Ministro das Condições Climatéricas

Escrevo-lhe porque não estou contente. O Governo a que o senhor pertence já governa há quase dois anos e não se notam melhorias sensíveis no tempo. A desculpa da herança já não serve. O tempo actual já é da sua responsabilidade. Aliás, a culpa de tudo o que não nos corre de feição é sempre do Governo.

Qual a razão de ter deixado que todo este frio chegasse ao Algarve? Não gostamos, não estamos habituados e não nos queremos habituar. Será o lóbi dos sobretudos, luvas, cachecóis e gorros a fazer valer a sua força perante o Governo?

Sr. Ministro, este frio é intolerável. Uma chuvita de vez em quando, ainda se aguenta, desde que não venha acompanhada deste frio glaciar.

Enquanto cidadão contribuinte, enquanto cidadão de pleno direito deste País exijo-lhe que coloque todos os meios técnicos ao seu alcance e utilize toda a sua força política junto do primeiro-ministro e restantes ministros para que esta situação termine rapidamente.

Calorosamente,

Al Cagoita

terça-feira, 2 de dezembro de 2003

VIVER EM SOCIEDADE:A Importância de ser Pontual

Li no último Expresso que o actor António Fagundes, que se encontra com uma peça de teatro em Lisboa e Porto, manda fechar as portas logo que chega à hora marcada para o início do espectáculo. No Brasil, próprio Presidente Lula ficou à porta. "Famosos" (isto de chamarem famosos a simples conhecidos irrita-me solenemente!) e "colunáveis" não admitiram tal "falta de respeito" e fartaram-se de fazer barulho, bateram na porta e até teve que vir a Policia.
O atrevimento deste brasileiro chegar a Portugal e começar uma coisa a horas... o bom Português não derrubou o teatro porque não pôde...

O Dr. Patrick Monteiro de Barros, o homem da America's Cup" contou que quando quiz fazer uma casa combinou um encontro com um arquitecto. Como este chegou atrasado no 1º encontro não lhe deu o projecto. Como chegou atrasado uma vez, certamente chegaria mais vezes.

Penso que o Eng. Macário Correia, o autarca modelo Algarvio, também não perdoa atrasos e começa as cerimónias na hora marcada.

O chegar atrasado começa a ser cultural. Lembro-me de ler numa revista (Executive Digest?) diversos aspectos sobre alguns Países, em especial no que concerne a hábitos do tipo gorjeta a dar no táxi, pontualidade, forma de vestir, etc. Se fizessem algo deste tipo sobre nós como seria?

Quando combino um encontro com amigos dou comigo a pensar: "Aquele vai chegar a horas, o outro atrasado". E chego a chegar pontualmente atrasado para não ter que esperar.... sozinho!

Numa pesquisa na net descobrei algumas coisas preciosas sobre pontualidade:
- Petição para a Pontualidade

- Não se mudam, provavelmente em menos de uma geração, os hábitos de trabalho, a falta de pontualidade, as baixas qualificações da população activa e a dependência crónica do Estado dos nossos empresários. Não se altera, provavelmente em menos de uma geração, uma cultura generalizada de evasão fiscal, nem se destrói uma teia de pequenos poderes na administração pública que bloqueiam e criam vícios intransponíveis no curso da vida económica. (...) não basta, em matéria de produtividade, saber o que o Governo pode fazer pelo país, mas, sobretudo, o que o país pode fazer por si próprio Fonte: Diário Económico, 17.07.2003

- Discurso após a eleição como Presidente da Assembleia da República (10 de Abril de 2002): "Apelo à dedicada colaboração de todos para que se respeite rigorosamente a pontualidade"

- Anote também que os europeus detestam impontualidade, com exceção dos italianos e espanhóis. Para os mais sisudos europeus, a pontualidade reflete o homem que está à frente do negócio. A propósito, além de pontual, evite piadas. Em geral, dada à formação cultural diferente, o que entre nós, latinos, pode parecer algo divertido, entre eles pode não causar graça alguma.Dicas

- Requisitos de uma boa imagem- Em todos os manuais de protocolo considera-se que o primeiro requisito de uma boa imagem é a pontualidade. Como dizia Luís XVIII, «a pontualidade é a cortesia dos reis e o dever de todas as pessoas de bem». Executive Digest

Sobre a pontualidade já desabafei. Próximo tema: o telemóvel
Farense a dar as últimas

Record de 29.11.2003

O Farense só liquidou 400 euros aos seus jogadores, desde o início da época, e os funcionários da SAD estão com oito meses de ordenados em atraso, mas o presidente do clube e da Sociedade Desportiva, Gomes Ferreira, não perspectiva soluções a curto prazo para os problemas financeiros pendentes.

Aquele dirigente tinha aprazada para ontem uma reunião (que acabou por ser adiada, devido a motivos profissionais) com os funcionários, a quem vai transmitir "a única mensagem possível no quadro actual": "Não estamos parados, há diligências em curso e compreendo as necessidades de todos, não dispomos de fundos no momento. Será necessária alguma paciência."

O processo tendente à viabilização de um posto de combustível na Avenida Calouste Gulbenkian está entregue ao presidente da Câmara, José Vitorino, e de um espaço para uma outra bomba foram recebidas até ao momento duas propostas, enquanto o aproveitamento imobiliário dos espaços adjacentes ao S. Luís "segue os trâmites da consulta pública e irá à Assembleia Municipal ainda este ano."

Neste quadro de dificuldades, o médio Pedro Estrela decidiu sair, pois tem compromissos por liquidar e não recebe. Não está afastada a possibilidade de outros jogadores seguirem o mesmo caminho, com o Farense a encontrar-se impedido de inscrever novos elementos devido a processos decididos nos últimos meses pela Comissão Arbitral da Liga.

Caso alguns funcionários decidam sair, o administrador Fernando Belo admite recorrer "a outras pessoas" para manter a actividade, embora não estejam afastados sérios problemas a curto prazo devido à falta de recursos.


Funcionários com 8 meses em atraso deve ser um drama terrível. Contas para pagar, comida para comprar, roupa por adquirir.... e com o Natal à porta tudo se torna mais triste.

O que terão agora a dizer aqueles que inviabilizaram a bomba de gasolina perto do Fórum? Que alternativas aopresentaram?

A ver se a Câmara disponibiliza rapidamente uma qualquer solução e, depois, é tempo de os Farenses (clube e SAD) repensarem a sua vida e apostarem numa boa gestão (actualmente nada há para gerir... só dívidas...).

Um grande bem haja aqueles grandes Farenses que continuam a tentar que o barco navegue, apesar deste meter água por todos os lados. Vida díficil. O meu reconhecimento fica aqui expresso.

Nunca pensei que isto chegasse a este ponto...

sexta-feira, 28 de novembro de 2003

Outra vez o défice

Portugal apoiou a Alemanha e a França, de forma a que não fossem penalizados por incumprirem no défice.
A posição de Portugal foi de votar ao lado destes dois grandes. A razão apresentada foi o facto destes países terem apoiado Portugal quando nós excedemos o défice.
Compreendo que apoiar os grandes nos pode trazer algumas benesses, mas discordo da posição portuguesa.

Portugal admitou que tinha ultrapassado o défice (2001) e prometeu tomar medidas para que esta situação não se voltasse a repetir. E cumpriu.
A França e a Alemanha não cumpriram o défice em 2002, não vão cumprir em 2003 e já avisaram que também não irão cumprir em 2004.

Este pormenor faz toda a diferença. Um prometeu mudar de vida e os outros dois reconhecem que estão na má vida e que irão continuar nela, sem qualquer esforço para mudar.

Por tudo isto, mereciam ser multados. Mas eles são grandes...

quinta-feira, 27 de novembro de 2003

Com bastante atraso... chegou a Causa Nossa... da Maria!

O Blog de esquerda mais esperado do ano apareceu. O Causa Nossa existe a sério desde o dia 22. Estava prometido que começaria há vários meses....

O mais giro é que todos os posts são colocados pela Maria.
A Ana Gomes, o Jorge Wemans, o Luís Nazaré, o Luís Osório, a Maria Manuel Leitão Marques, o Vicente Jorge Silva e o Vital Moreira não escrevem no blogue. Escrevem nalgum outro sítio e mandam a Maria inserir os post no blog.

Peçam ao José Magalhães que vos explique como funciona um blog. E que vos ensine a não colocarem tantos caracteres incorrectos que provocam traços verticais. Isto de ser sempre a Maria a inserir os posts soa a infobásicos.

E podiam abrir a hipótese de se fazerem comentários.... mas, era chato, né? Pessoas conhecidas a serem confrontadas pelo povo.... O Abrupto-JPP e o Ciberscópio-JM fazem o mesmo.... infelizmente....

Se o PS anda a fazer recolhas de fundos (ver Almariado) como conseguiram ainda pagar a uma Maria?

quarta-feira, 26 de novembro de 2003

America's Cup para Valência

Já esperava. Depois de ouvir o Dr. Santana Lopes ontem na SIC, em que se mostrava céptico, pensei que deveria ser difícil.

E ganharmos mais uma prova a Espanha, depois de termos ganho EURO 2004 afigurava-se-me pouco provável.

Espera-se agora que os projectos de requalificação não morram, apesar de certamente seguirem a um ritmo mais lento.

terça-feira, 25 de novembro de 2003

Na Quarteira/À Quarteira...

No passado Domingo, durante a Operação Triunfo, Catarina Furtado disse que iria fazer uma ligação "à Quarteira". De Quarteira, responderem "estamos aqui na Quarteira".

Nunca percebi a razão pela qual os não-algarvios dizem que vão "à Quarteira", que passam férias "na Quarteira". Os algarvios dizem que vão "a Quarteira", passam férias "em Quarteira".

Quem terá razão?

segunda-feira, 24 de novembro de 2003

Estádio do Algarve - parte II

A festa de inauguração do lindo estádio foi a mais.... discreta, simples, pequenina de todos os estádios do Euro 2004. Abrir as portas do estádio e brindar o povo com um fogo de artifício é manifestamente um espectáculo fraquito.

Situações positivas:
- o declive dos lugares e o espaço nos corredores (entre os lugares) - bastante melhor que o do Estádio da Luz, por exemplo;
- é bonito, é lindo;

Situação menos positivas:
- um fogo de artifício atrás de uma bancada, fora do estádio, não tem lógica nenhuma! Dos lugares do estádio via-se para ai 30 ou 40% do fogo. No Estádio da Luz o fogo foi dentro do estádio. Se era para ser feito fora deviam ter avisado as pessoas para sairem. Ver um fogo de artificio fora do estádio, com uma bancada e parte da cobertura à frente não lembra a ninguém!;
- a cobertura podia cobrir mais as partes laterais das bancadas, de forma a evitar tanto vento/frio
- não dava para fazer um Farense-Louletano para inaugurar o Estádio?

Agora resta esperar por Fevereiro para se ver futebol a sério. Até lá deverão acontecer alguns jogos do Farense e do Louletano, mas jogos de grande nível só o Portugal-Inglaterra de Fevereiro. Até lá...
Estádio do Algarve

O Homem sonha, a obra nasce!

Estádio do Algarve


Estádio do Algarve


Estádio do Algarve

quinta-feira, 20 de novembro de 2003

Universidades fechadas a cadeado

O grande problema desta moda prende-se com a falta de democracia de que está impregnada e com a falta de autoridade de Estado.

Na primeira questão, o que está a ver é que as minorias quando estão contra a vontade da maioria utilizam formas de pressão ilegais e ilegitimas para fazerem valer os seus pontos de vista. É uma completa perversão do fenómeno democrático. Se eu não gostar do aumento que a minha entidade patronal me vai dar para 2004.... fecho-a a cadeado! Podem-se fazer greves, manifestações, etc. Encerrar a cadeado é crime e inconcebível em termos de valores de convicência em sociedade.

A segunda questão (falta de autoridade do Estado) é impopular e tem a ver com mais um fantasma da esquerda: não se bate nos estudantes. A esquerda vem logo dizer que o Salazar é que mandava bater nos estudantes e que o Governo é fascista, etc, etc. O DVD (sim, a esquerda evoluiu da K7) do costume...
Para mim, quando está em causa a autoridade do Estado, esta tem que ser restabelecida e apenas existem infractores, não existem brancos, pretos, amarelos, machos, fémeas, hermafroditas, altos, pequenos, taxistas, economistas, advogados, etc. São todos iguais perante a Lei. E nunca foi aberta nenhuma excepção para os estudantes.

Num País a sério teriamos, no mínimo, a Polícia a identificar os prevaricadores e a serem julgados em tribunal.
Universidade do Algarve fechada a cadeado

Como se pode ver no Jornal Público a Univ. Algarve está fechada a cadeado. Os 3 Pólos estão encerrados (Penha, Gambelas e Portimão) e assim ficarão cinco dias.

Como o Senado não votou como os estudantes queriam, estes não aceitaram uma decisão democrática e optaram por fechar a Universidade a cadeado, só poupando a Reitoria.

Se a moda pega e a Autoridade de Estado não é imposta, estamos a caminho de sermos uma verdadeira República das Bananas, onde qualquer um restringe os direitos dos outros, de forma ilegal, por um qualquer motivo.

Se os estudantes estão contra, porque é não fazem greve e não ficam em casa?

quarta-feira, 19 de novembro de 2003

Algarve com duas Comunidades Urbanas?

Segundo o Público de hoje "No Algarve parece ser mais provável a criação de duas ComUrb [lideradas por Faro e Portimão] que a de uma GAM", diz o secretário de Estado da Administração Local, Miguel Relvas."

Por mim concordo, apesar de políticamente não ser muito acertado ceder o Barlavento ao PS. Penso que é a melhor solução para a Região, apesar de tirar alguma centralidade a Faro.

A ver vamos...

terça-feira, 18 de novembro de 2003

Amanhã vou acorrentar qualquer coisa!

Enquanto estiver a fazer a barba vou decidir. O que trancar. Cadeado e corrente já tenho. Modelo Coimbra/2003. Prontinhos a estrear.

Vou decidir qual o órgão, empresa, café, restaurante ou serviço público contra o qual estou contra. Depois de estar contra, TUNGA, corrente com ele. E cadeado. E de lá não saio. Venham todos que não saio. Afinal de contas, eu estou contra e tenho de ser ouvido. E enquanto não me ouvirem e não acederem aos meus pedidos eu não saio! NÃO SAIO! Não saio eu, a corrente e o cadeado. E nem pensem em chamar a Polícia! A Polícia é para seguir gatunos! Eu sou um simples cidadão desta País lutando contra! Tenho os meus direitos!
E como tenho direitos vão ter que gramar com a pastilha. Eu vou lutar, manifestar-me na rua, agitar cartazes contra.

E quem quiser entrar, não entra. Simples, não? Não entra, porque não tive o trabalho de comprar a corrente, cortar a corrente, polir a corrente, pintar a corrente, olear a corrente, escolher o cadeado, comprar o cadeado, colocar o cadeado na corrente e ambos na porta para agora vir alguém a ... entrar! NÃO!

Quem está comigo, está. Quem não está, estivesse. Logo entra cá para a semana. Talvez. Pois continuo bastante indignado com a minha própria indignação. Nada mudou ainda.... Se calhar fui pouco contra... Deveria ter fechado também as portas e as janelas? Deveria ter feito greve de fome? Eu precisava de ter lá malta comigo, a agitar, a fazer barulho. Eram mais direitos em jogo, era mais bagunça e confusão.

Continuo contra. Ainda não me passou. Se a corrente e o cadeado não chegaram, mais qualquer coisinha há de se arranjar. As pessoas têm que perceber que eu tenho toda a razão em estar contra e deverão agir em conformidade. Mudar as leis, alterar os preços, melhorar o serviço ao balcão.

Se não, para a próximo corto a estrada!

segunda-feira, 17 de novembro de 2003

Cabalas

Se o que está a acontecer ao Dr. Ferro é uma cabala, como se pode qualificar o que se passou com o Dr. Portas quando tentou criar a AD com o Prof. Marcelo, onde todas as semanas o DN trazia notícias comprometodoras sobre o caso Moderna?

Nessa altura não vi tanta gente a acudir....
Ferro pediu maioria absoluta

Eu quero o triplo do ordenado, um BMW do último modelo, uma vivenda na Quinta do Lago e um Iate (sem ser o Lucky Me)!

Já que estamos numa de absurdos, eu também entro!!!
RTP 1 - Só FCP!

Apesar de ser sócio do SL Benfica, Casa do Benfica de Faro e fã de tudo o que seja Benfica, achei excessiva a importância dada pela TVI à inauguração da catedral.

Aogra, o que foi feito com o FCP é vergonhoso! O canal público passou o Sábado à noite e o Domingo todo de volta do novo estádio portista. Admito isto nas privadas, não admito nos canais públicos.

Haja decência.
Voltei....

Após uma gripalhada e uma acção de formação em informática.

sexta-feira, 7 de novembro de 2003

Eu tento ir à Praça/Mercado Municipal mas...

Gosto da praça (prefiro este termo ao pomposo Mercado Municipal). E tento sempre lá ir. Mas, sempre que lá vou fazer compras arrependo-me. Até me esquecer e lá voltar...

A praça é o sítio onde deveria funcionar o mercado de concorrência perfeita: vários pequenos comerciantes a oferecer os seus produtos, sem que nenhum tenha capacidade de fixar os preços.

Quando lá chego tento ver os diversos preços para um certo produto. Dou uma voltinha e de 12 bancadas que oferecem o produto X, 3 ou 4 têm o preço afixado, 6 ou 7 não têm preço e as restantes têm o preço caído, sem possibilidade de ser visto. Logicamente não vou perguntar o preço a todas as bancadas onde não o pude ver... e então fico-me pelas 3/4 que têm o preço visível, podendo estar a comprar a um preço mais caro do que o existente ali ao lado....

Imaginem que preciso de um tomate. Se fosse no supermercado escolhia um tomate, embalava-o e dirigia-me à caixa.
Tente chegar à praça e dizer que quer um tomate. Espancam-no com o olhar!
E se quiser 5 tomates e estes pesarem 700 gramas, dirão logo: "não quer um quilo para fazer conta redonda?" E a pessoa lá diz que sim...

E pronto, por agora é tudo...
PPD - Política Pura e Dura (3) - Ter carácter

A traição, o esquema, a desonostidade, o vale-tudo estão a mais na actividade política.

Há uma célebre estória passada no Parlamento Inglês que é, mais ou menos, isto:
- Explica um deputado mais rodado a um deputado novo, colega de bancada: "Aqueles ali (apontando para as outras bancadas) são os nossos adversários, aqui à volta temos os nossos inimigos".

Uma postura séria, honesta ao longo da vida política acredito que não seja fácil, mas é necessária. Só com valores bem enraizados se poderá passar incólume pela política.
O PIDDAC (Programa de Investimentos e Despesas de Desenvolvimento da Administração Central) Algarve

O PS Algarve vem dizer que o PIDDAC na região diminuiu 8% e que o PIDDAC para a Educação está 72% inscrito para Câmaras Municipais do PSD.

Mas será que analisaram os PIDDAC's de todos os Ministérios por cores de Câmaras Municipais? Ou esta área foi escolhida a dedo?

Desde quando o PIDDAC demonstra o empenho na actividade de um certo Ministério? Porque razão quando o PIDDAC não aumenta toda a gente diz "o Governo está a desinvestir na área X"?

O PIDDAC prende-se com a construção de edifícios, construções diversas, compra de terrenos, ferramentas, máquinas, hardware e software, entre outros.

Só o PIDDAC demonstra o empenho/prioridade que um Governo dá a uma certa área? É a construir e a comprar computadores que se conseguem melhorias nas diversas actividades públicas? É deitando dinheiro sobre os problemas que estes se resolvem?

Compreendo a lógica desta análise quando estão em causa prioridades estratégicas em termos de vias de comunicação importantes ou outras situações de idêntica importância, agora andar a fazer continhas de merceiro para fazer afirmações parciais (não avaliando as restantes verbas destinadas à área - pagamento de ordenados, etc), dizer que as Câmaras da côr X tiveram mais Y% não traz nada de nova à discussão.

O PIDDAC e restantes componentes orçamentais são apenas o ponto de partida. Tem mais lógica ver os resultados conseguidos no final do ano. Não é por ter muito PIDDAC que estes vão ser melhores ou piores...

Mas os Partidos Políticos têm que falar para demonstrarem que estão vivos...

quinta-feira, 6 de novembro de 2003

Durão Anuncia Fim do Financiamento das SCUT , in Público, 06.11.2003

A forma de fazer obra hoje e deixar para os netos o seu pagamento, sempre me pareceu uma forma errada de gestão e intelectualmente desonesta.

Uma vez que o País não é rico, o Governo decidiu que os utilizadores das SCUT passarão a pagar portagens, com excepção da Via do Infante e da Beira Interior.

Após a conclusão das grandes vias de comonicação rodoviária, o País deverá tentar eliminar as portagens, ou mantê-las a um nível baixo que sirva apenas para pagar a sua conservação.

Agora não é possível. No futuro é desejável.

quarta-feira, 5 de novembro de 2003

PPD - Política Pura e Dura (2) - Ter tento na língua

É importante manter a coerência do discurso. Quando somos oposição, seja onde for, não devermos tomar posições que não consigamos sustentar quando somos poder.

Fazer críticas que não poderemos sustentar quando somos poder, pode trazer ganhos no curto prazo, mas mina-nos a credibilidade a médio/longo prazo.
O Reitor Pimpão....

... parece mais activo do que nunca a criticar duramente a política do Governo, colocando-se até ao lado das posições dos estudantes (acabei de ouvir na TSF).

Se se confirma que no Senado não quis pôr a votos a proposta de propinas apresentada pelos estudantes, temos aqui uma incongruência.

E se agora é um crítico tão feroz do Governo, porque será que nunca o ouvimos a falar tão alto quando o PS era Governo?

E sabiam que o Prof. Pimpão foi o nº 1 do PS em Faro para a Assembleia Municipal nas eleições de 2001. Mas, como perdeu, renunciou ao seu lugar de deputado municipal. Presidente, sim. Deputado, não. Porquê?
Desrespeito na Rua

Ainda me lembro de ter sido apanhado por um Policia a andar de bicicleta a pedal num sentido proibido. Tinha ai uns 15/16 anos e custou a convencer o Policia a perdoar-me a multa.

Quinze anos depois, vejo todos os dias 2/3 bicicletas a circularem em sentido contrário e nunca vi a Policia a fazer nada. Ainda agora, à volta do futuro Mercado Miunicipal de Faro vi 2 bicicletas em sentido proibido e .... nada. E se dizemos "O que fazes ai, pá?" ainda somos insultados....

E o que dizer da nova moda dos "condutores" de carrinhos de bébé de andarem a conduzi-los .... na estrada, mesmo quando há espaço mais do que suficiente nos passeios? Compreendo que o piso na estrada é melhor, mas.... lá há carros....

Parece-me que as pessoas estão a perder a noção das coisas, caindo na mais pura das irresponsabilidades.

terça-feira, 4 de novembro de 2003

Um Exemplo para os Outros

O meu amigo NSPTM do Quadrante desafiou-me a falar sobre ser um Exemplo para os outros.

Ele já o fez e com aquela veia filósofa que lhe vai na alma. Para ver clique aqui.

Eu sou mais comedido em palavras. Nunca procurei ser um exemplo para os outros. Sempre tentei pautar a minha vida por um conjunto de valores que me foram transmitidos, outros que apreendi. A minha consciência tem sido o meu guia.

Se cada um actuar de acordo com a sua consciência, tendo por base valores normais na nossa sociedade (nada de muito requintado, noções básica sobre o bem e o mal chegam), desde que os utilize, cada um de nós será um exemplo.
PPD - Política Pura e Dura (1) - Falar sempre às 20h

Só falando às 20h um político consegue fazer passar a mensagem pretendida para a opinião pública.
Se falar antes, as televisões fazem um resumo do que lhes interessa (e não ao político) que passará pelas 20.53h, logo depois de uma notícia sobre um homem que caiu de uma ravina e não morreu e antes do padre da freguesia explicar o porquê da necessidade de obras na igreja.
Teatro Municipal de Faro vai arrancar

Segundo o Região-Sul, citando o Dr. José Vitorino, o teatro vai arrancar. Para já vão ser feitos os necessários contratos.

Vai custar 2 milhões de contos (em vez dos 3 iniciais), vai ser financiado pelo POC (Programa Operacional da Cultura) e a CM Faro entrará com menos de um milhão de contos.

Faro capital de uma região turística, com mais de dez mil estudantes universitários, com uma população residente de quase 60.000 pessoas já merecia um espaço destes.

Temos o teatro Lethes, lindo mas pequeno, e o Conservatório num formato algo estranho e também com lotação limitada.

Só não aprecio particularmente a localização, pois a entrada de Faro com o Fórum Algarve, o Feira Nova e o espaço do Faro Shopping que há de ser qualquer coisa, já está bastante penalizada em termos de tráfego e confusão.

Não tenho dúvidas que o teatro será o máximo. Tecnologia moderna, boas condições para o espectador, possibilidade de grandes eventos até hoje arredados de Faro (grandes óperas, ballets, orquestras completas, concertos com grandes interpretes debaixo de tecto, etc).

O único receio aponta na gestão. Penso que o Dr. José Vitorino está atento a esta questão, pois já a referiu. Mas, é fundamental que aquele espaço (tal como o Parque das Cidades) não seja um sorvedouro de dinheiros públicos e seja encontrado um modelo de gestão com parcerias fortes com privados que permita uma gestão eficaz.

segunda-feira, 3 de novembro de 2003

Santana vs. Guterres

Este deverá ser o principal duelo presidencial.
Santana está mortinho por ser candidato e Guterres tenta manter-se no palca mediático, como se pode ver pela recente reeleição para Presidente da Internacional Socialista (alguém sabe o que faz esta organização?).

Cavaco Silva, o candidato mais forte do centro-direita, não deve estar para se sujeitar a novas eleições. Já tem uma certa idade, está reformado e não quererá arriscar ser derrotado duas vezes nas Presidenciais.

O homem que fugiu quando o País entrou no pântano, deverá representar a esquerda no ansiado "combate". Vai ser gira a tentativa de refazer a história, modificando a sua fuga do governo para uma saída digna de quem não estava agarrado ao poder.

Eu preferia Cavaco vs. Guterres, pois acho que Santana Lopes ainda pode prestar relevantes serviços ao País antes de ser PR....

A ver vamos...

quinta-feira, 30 de outubro de 2003

Reacções da Esquerda

Porque será que a esquerda sempre que não concorda com uma opinião de centro/direita vem sempre com o fantasma do Salazar, Hitler, etc?
Faltarão argumentos?

segunda-feira, 27 de outubro de 2003

Os Estudantes e o Civismo

Os estudantes têm vindo a manifestar-se, de forma legítima, diga-se, contra o aumento das propinas.

Os estudantes têm vindo a mostrar ao País um mau exemplo de comportamento cívico, nomeadamente:
- Interrupção, invasão e boicote às reuniões do Senado. Se os estudantes não têm votos suficientes nos senados para que as suas posições prevaleçam, deverão dexar que a maioria decida. É o que acontece nos países democráticos;

- Fechar universidades a cadeado O que ganham com este tipo de medidas? É por faltarem às aulas que a lei muda? É descabido proibirem o acesso que alunos e professores às aulas. Deve haver direito de opção.

- Uma linguagem insultuosa Já fui estudante e reconheço que por vezes também eramos algo excessivos. Mas, o insulto barato não dignifica qualquer proposta política que se pretenda defender. Chamar nomes não dá razão a ninguém. Os bonecos, frases engraçadas, caricaturas, etc dá um tom engraçado e passa uma imagem de irreverência, mas também passa a mensagem. A má criação passa a imagem de uma enorme falta de chá.

- Instrumentalização Político-Partidária Porque será que quando o PSD está no poder as manifestações estudantis têm sempre mais força, mais apoiantes e melhor organização?

- Desobediência civil Houve um Presidente de uma Assoc. Estudantes (Coimbra???) que até já falou em desobediência civil...... onde é que estamos?

Vamos debater ideias, criticar educadamente e agir nos limites da lei.

A não ser que esta luta já tenha sido dada por perdida da parte dos estudantes e o objectivo seja sómente o desgaste do Governo...
Eu estive lá....

A nova catedral foi inaugurada no passado Sábado. Obviamente, eu estive lá!

Aquilo não é bonito.... é fantasticamente e divinamente lindo e arrebatador!

Agora só falta melhorarem a equipa....
Formas de Organização Territorial

Desde 13.05.2003 que estão publicadas as leis 10 e 11/2003 que regulam a criação de Grandes áreas metropolitanas, Comunidades urbanas, Comunidades intermunicipais de fins gerais e Associações de municípios de fins específicos.

O Algarve debateu mais este assunto quando a lei estava em ante-projecto do que agora.

A região deve debater este tema de forma séria e despartidarizada, de modo a que se alcance a melhor solução para o desenvolvimento da região como um todo.

Ainda não há grandes posições tomadas por parte dos responsáveis regionais dos diversos partidos, associações, etc. O debate está em aberto e importa que todos possam participar, pois o que está em jogo é demasiado importante para ser decidido em gabinetes obscuros.

Confesso que, à primeira vista, a criação de uma Grande área metropolitana (GAM) não me agrada.
Se durante todos estes anos entidades várias com intervenção em toda a região (CCR-ALG, várias direcções ou delegações regionais, associações regionais, etc) não conseguiram resolver os problemas da região, manter a mesma abrangência, apesar de contar com mais atribuições, não me parece que resolva todos os problemas.

Defendo, mas de forma flexível e não definitiva, a criação de duas Comunidades urbanas (uma para o Sotavento e outra para o Barlavento), criadas à volta de duas cidades de dimênsão média em termos nacionais (Faro e Portimão) que seriam os seus pólos de desenvlvimento. As duas Comunidades urbanas (passemos a chamá-las de CU... sugestivo....) geririam cerca de 200 mil pessoas cada, sendo mais fácil resolver os problemas existentes e apontar estratégias de desenvolvimento futuras.

Com GAM, com CU ou de outra forma interessa que a região discuta e decida convictamente o que é melhor para o nosso futuro comum e partilhado.

quinta-feira, 23 de outubro de 2003

Ferro Encurralado

Ferro Rodrigues não tem saída.

As escutas não deveriam ter sido divulgadas, pois estão em segredo de justiça. Certíssimo. Investigue-se e puna-se quem cometeu este crime.

Mas, não podemos fingir que não existem. Se estão cá fora, se as conhecemos, mesmo que não tenham relevância processual, terão certamente importância política.

E o que nos revelam as escutas do Dr. Ferro são tentativas de pressão sobre o PR (que pelos vistos não se deixou pressionar), violação do segredo de justiça (como pode ele saber pormenores do processo se este estava em segredo de justiça?) e tentativas diversas de alterar o sentido da justiça.

Com este cenário o PS não pode continuar a insistir que houve violação do segredo de justiça (que houve!), tentanto apagar da memória dos portugueses tudo o resto!

Hoje foi Manuel Maria Carrilho a enviar-lhe mais uma machadada via DN.
Manuel Alegre quer um congresso.

Irá Ferro esperar que o partido fique ainda mais muribundo para que seja forçado a sair pela porta pequena?

Já repararam que o PS, desde a prisão do Paulo Pedroso, vive para dentro, dominado e minado pelo processo "Casa Pia", incapaz de se mostrar como alternativa aos Portugueses?

A novela judiciária promete....
A Ética na Política

Na política, como na vida, devemos manter um certo nível.
Fica mal e não é digno querer alterar votações, só porque não nos escolherem.
Fica mal e não é digno dizer que quem nos ganhou não tem condições,mas nós temos.
Fica mal a cagança, a presunção, a arrogância e o snoobismo.
Fica mal meter a Patinha na poça...
Novela Cortefiel - parte 2

Pelo que me apercebi, lá depositaram um cheque na minha conta no dia 21, no valor do montante em falta. Lá terei que esperar mais uma semana para ter o dinheirito na mão.
Se pediram desculpas pelo incómodo? Nada..... até ver!

segunda-feira, 20 de outubro de 2003

Toto-Ferro: o passatempo da moda!

Inicio agora um novo passatempo denominado "Toto-Ferro" e que pretende testar a capacidade de previsão dos meus caros visitantes.
Eis a pergunta?
Quanto tempo demorará Ferro Rodrigues a pedir a demissão?
Eis as opções:
1- Nos próximos dois dias
2- Até ao fim-de-semana
3- Até ao final do mês
4- Até ao final do ano
5- Até ao próximo congresso

Aposte e ganhe...

domingo, 19 de outubro de 2003

Reclamação contra o Cortefiel/Hispamer

No dia 9 de Setembro comprei umas roupas no Cortefiel (115€), no Fórum Algarve-Faro, e quis pagar com o cartão de cliente Cortefiel, pois sempre dá um desconto. O meu cartão não foi aceite. Dava um erro qualquer. Solução, deixar lá as roupas e voltar depois.

Voltei no dia 11, paguei com o tal cartão de cliente e levei a roupa. Até aqui tudo bem.

Tendo estado de férias e quando chego a casa verifico que o extracto do cartão acusa duas compras de 115€, ou seja, 230€. No dia 1 de Outubro vou à loja do Cortefiel no Fórum Algarve e demonstro que só comprei 115€ de roupa uma vez. Ligam para Lisboa, dizem que tenho razão, pedem-me o nº de telemóvel e dizem-me que brevemente serei contactado pela Hispamer (penso que é a empresa que trata dos serviços financeiros, também Espanhola).

No dia 7 de Outubro (vejam lá o breve que foi...) telefonam-me do Hispamer e dizem-me que o erro é todo do sistema, pelo que terei duas hipóteses: pagar tudo (ou seja emprestar-lhes 115€) que seriam devolvidos no extracto seguinte ou eu ir ao banco e pedir para não pagarem o débito do Hispamer. Disse-lhes que o débito já deveria ter sido feito (o que se comprovou: dia 6 levaram-me a massinha... em dobro), pelo que esta hipótese não se punha. Em relação à primeira perguntei-lhes se estavam a brincar comigo e por alma de quem tinha que lhes emprestar 115€ (ainda são 23 contos....) durante um mês. Disse-lhes que não me importava que tirassem o dinheiro a mais, desde que repusessem rapidamente (1/2 dias).

No mesmo dia envio-lhes um fax, onde explico tudo e mostro que o dinheiro já me foi tirado.
Dia 9 envio novo fax a questionar o porquê de não terem ainda dito nada.

Até hoje nem mais um contacto. O desprezo total.

Segunda-feira, dia 20, vou fazer queixa à DECO, pois sou associado e é para estes berbicachos que serve....

sábado, 18 de outubro de 2003

Mau Comportamento da Farmácia Caniné-Faro - Parte 2

A Associação Nacional de Farmácias aceitou a reclamação e deve tê-la encaminhado para a Farmácia, pois a minha mãe já recebeu um telefonema da directora a tentar dar a volta ao texto e a tentar criar um filme que não existiu. Até disse que o tempo de espera era propositado para se tirar melhor a tensão, ou lá o que foi!!!! Podiam era ter avisado......

Agradeço o conselho do(a) Pimenta, mas as máquinas de medir a tensão em casa não são fiáveis. Vários médicos já mo disseram.

Pode ser que tenham aprendido....

Vale sempre a pena reclamarmos. Reclamar é positivo também para as entidades contra as quais protestamos. É uma forma de se aperceberem de falhas e melhorarem o seu serviço.
Se o teor das escutas se confirmar: Ferro, está na hora de abalar….

A política sem moral não enobrece quem a faz.
Ferro Rodrigues fartou-se de cascar nos ex-Ministros Pedro Lynce e Martins da Cruz devido ao já famoso caso da ida da filha do Ministro para a Universidade.

Caso se confirmem as escutas telefónicas avançadas pela SIC, Ferro, amigo, não tens outra solução senão pedires a demissão e abandonares a vida política.
Meter cunhas ao Procurador-geral da República, ao Presidente da República e estar-se a "cagar para o segredo de justiça" são atitudes que, a confirmarem-se, exigem um pedido de desculpa aos Portugueses e a imediata renúncia de todos os cargos políticos. Ainda por cima é Conselheiro de Estado.... imaginem se não fosse!!!!
E o António Costa, que parece que também está metido, ainda por cima ex-Ministro da Justiça, deverá seguir o mesmo caminho do seu líder...

Só se espera uma de duas coisas: a demissão digna ou uma explicação mirabolante muito boa. Aguardemos com serenidade...
De novo em acção....

Após quase um mês (férias, formação e .... alguma preguiça), o alcagoita volta em força.....

segunda-feira, 22 de setembro de 2003

Mau Comportamento da Farmácia Caniné-Faro

No passado Domingo, dia 14, a minha mãe dirigiu-se à Farmácia Caniné, em Faro, para medir a tensão à minha avó (com 86 anos), pois esta tem tido a tensão muito alta, havendo, por indicação expressa por parte do seu médico assistente, necessidade de uma vigilância apertada à sua tensão.

A farmácia Caniné era a que se encontrava de serviço, razão pela qual a minha mãe se dirigiu lá, acompanhada da minha avó.
Após chegar, disse a um dos três funcionários de serviço que pretendia medir a tensão à minha avó. Disse-lhe para esperar um pouco. Lá arranjou uma cadeira para a minha avó descansar.

Passado algum tempo, a minha mãe resolveu ir para a fila e, quando chegou a sua vez, disse que estava ali para medirem a tensão à minha avó. A resposta continuou igual, era para esperar mais um pouco.

Os clientes entravam e saiam, passando todos à frente da minha avó.

Depois de lá estar mais de 30 minutos, voltou a insistir com um dos funcionários. Afirmou que já lá estava há bastante tempo e que pretendia medir a tensão à minha avó.
A resposta do funcionário foi esclarecedora: "só iremos medir a tensão quando não houver nenhum cliente para atender!".
A minha mãe agradeceu o excelente tratamento dedicado, virou costas e foi-se embora.

Toda a gente sabe que medir a tensão não é dos serviços/produtos mais lurativos de uma farmácia, mas penso que uma farmácia nunca foi uma empresa cega pelo lucro, sem ligar ao lado humano das pessoas. Teria a minha mãe que comprar uma caixa de comprimidos para medirem a tensão à minha avó? Que culpa tem que não tenham um instrumento para medir a tensão em que o próprio utilizador seja auto-suficiente na sua utilização?

Mais vale pôrem os medicamentos à venda num hipermercado (com licenciados em farmácia e afins a tomarem conta), pois com atitudes mercantilistas destas em nada se distinguem de uma grande superfície.

Já repararam que a farmácia é o único sítio onde ninguém pede desconto? Qual será o lucro de cada farmácia? Por venderem medicamentos e prestarem outros serviços na área da saúde, devem pensar que são intocáveis e fazem o que querem!

Logiocamente já seguiram reclamações para o ANF, INFARMED e APIFARMA.
Irrita-me o discurso da bola!!!

Adoro futebol. Desde pequeno que sou louco pela bola mágica. Sempre fui a jogos em Faro e Lisboa. Enfim, gosto mesmo de futebol.

Entretanto, tenho vindo a ser sufocado pelo discurso da bola. O que mais me incomoda é a boçalidade, o discurso vazio e a repetição de banalidades. "Hoje em dia não há adversários fáceis". "Tentaremos defender quando estivermos sem bola e atacar quando estivermos com ela". "Jogaremos o que outra equipa nos deixar jogar". "Temos que lutar muito para vencer". Etc, etc.

O facto de existir três jornais desportivos diários, uma televisão só de desporto e a crescente mediatização do fenómeno futebolístico levou a esta situação em que os jogadores passaram de estrelas no relvado, para estrelas mediáticas, sem que nada de bom dai tenha advindo. Frases banais, pontapés na gramática, vulgaridades, frases feitas, enfim, nada de novo, apenas a oportunidade de se verificar que são bons a dar pontapés... na bola!

Tirando um dúzia de entrevistas por ano com pessoas conhecedoras do assunto, os treinadores dos três grandes, por exemplo, não se retira qualquer ensinamento de tanta verborreia.

Eu já decidi, para mim futebol é no relvado. Futebol fora das quatro linhas é uma nulidade.

sexta-feira, 19 de setembro de 2003

Ponte do Concelho de Loulé Espera Obras Desde 2001

Segundo o Público uma ponte na Goncinha (entrada de Loulé para quem vem de Faro) está por reparar desde 2001.
Não posso confirmar a data, mas como passo lá todas as semanas, posso corroborar a informação. Inicialmente, logo após a queda da ponte de Entre-os-Rios e as inspecções que se e seguiram, colocaram uma placa a limitar a velocidade a 30 hm/h. Como ninguém ligava, optaram por colocar lombas, e logo daquelas bem altas e que danificam as suspensões dos carros.
Se a obra pertence ao Instituto de Estradas de Portugal, esta entidade tem que fazer as obras de conservação rapidamente. Dois anos para reparar uma ponte daquelas, com milhares de carros a passaram por lá todos os dias-é uma das principais ligações de Loulé a Faro-, é uma irresponsabilidade muito grande. Se a empresa que ganhou o concurso e não apresentou os papéis todos, que o concurso passe para a empresa que ficou em segundo!

O Estado é um exemplo calor de como, muitas vezes, a burocracia se transforma em burrocracia. Não pode ser. As decisões têm que ser céleres e a resposta tem que estar no terreno rapidamente. Tudo tem que ser mais ágil.

Se houver um acidente, que o Presidente da Câmara de Loulé teme, quem se responsabiliza? Demite-se o presidente do IEP?

quinta-feira, 18 de setembro de 2003

Ligação Difícil?

CDS/PP

Ligação difícil aos os cargos que queriam na Administração Pública Algarvia, né?
Mas vão voltar... a insistir brevemente. A gente sabe!

sexta-feira, 12 de setembro de 2003

Grande Área Metropolitana, Comunidades intermunicipais e Associações de municípios

Depois da excitação que envolveu a criação das leis sobre estes assuntos, parece que toda a gente se esqueceu que são para serem postas em execução. Não se ouvem declarações de municípios sobre as suas opções, a posição da AMAL, etc, etc.

Até parece que o mais importante era a lei e, agora que esta está pronta, todos se esqueceram dela.

Ou será que não?

quarta-feira, 10 de setembro de 2003

Obrigado RTP!

Obrigado por teres anunciado que davas o jogo dos sub-21 em directo e teres dado em diferido
Obrigado por me teres privado de um jogo importante e decisivo para a qualificação dos nossos sub-21 para a fase final
Obrigado por me teres obrigado a ir procurar o velho rádio de pilhas para ouvir a Antena 1

Obrigadão!!!

quinta-feira, 4 de setembro de 2003

Sempre os Professores

Neste ano ficaram de fora cerca de 27.000 professores. Título de primeira página de vários jornais. Abertura de telejornais.
Os sindicalistas apresentam invariavelmente soluções que passam por o Estado criar mais emprego para absorver os que ficaram desempregados.

Quantos empregados fabris estão desempregados? Cozinheiros? Trabalhadores rurais? Licenciados nas diversas áreas sociais? Empregados de escritório? Advogados?

Porque é que o Estado tem que ter uma obrigação especial em relação aos professores que não tem com todas as outras milhentas profissões?

Quem disse aos Professores que o Estado lhes arranjaria trabalho? Se o Estado não garante emprego a nenhum recém-licenciado de curso algum, porque haveria de o fazer em relação aos professores?

Agora vão-se todos inscrever nos Centros de Emprego para receberem o subsídio de desemprego (os que tiverem direito), sendo que esta entidade não tem quaisquer ofertas de emprego para lhes oferecer. Ficarão nos registos até mudarem de profissão ou esperarem pela próxima hipótese de colocação.

Sei bem que a vocação é importante, mas a pessoa antes de se inscrever num curso tem que avaliar as possibilidades de inserção no mercado de trabalho. Porque depois uma grande vocação pode-se transforma numa grande decepção.

E as Universidades têm culpa porque não se informam sobre as hipóteses de inserção dos seus diplomados e se se informa não ligam nenhuma! Querem é cabeças, pois recebem à cabeça. O Governo, uma vez que as Universidades não o fazem, deveria limitar e mesmo fechar temporariamente alguns cursos de professores. Haja coragem!

E os Srs. Sindicalistas têm que pensar que não é a porem o Estado a pagar mais ordenados a mais professores que se resolve a situação. Atirar dinheiro sobre os problemas nunca resolveu nada. Os sindicatos deviam era começar a pensar em criarem cursos de rconversão profissional para parte dos seus filiados!
Sempre o Défice

Compreendo que em 2002 GOverno teria que dar tudo por tudo para que o défice não atingisse os 3%. Tratava-se de mostrar ao PS que era possível e à União Europeia que eram credíveis. Daí ter recorrido às portagens em Lisboa, venda da rede fixa e outras vendas de imóveis.
Apesar de saber que a França e a Alemanha também tinham pisado o risco, mas estes eram Países ricos, mais poderosos e, pelo menos a Alemanha, contribuinte líquido para o Orçamento da UE.
Em 2003 a esmagadora maioria da Função Pública teve aumento zero, o Investimento Público foi selectivo, as exportações aumentaram mas, com a crise económica existente (que provoca aumento de despesa social-aumento do desemprego- e diminuição de receita fiscal) e agora os incêndios, o Governo prepara-se para lançar novamente medidas extraordinárias, como sejam passar o Fundo de Pensões dos CTT para o Estado e alguma venda de património para alcançar os míticos 3% do défice público.
Se com todo o esforço de contenção em 2003 não vai ser possível alcançar os 3% pelas vias normais, valerá a pena estarmos a vender património para termos os 3%, quando Alemanha e França não irão lá chegar e nós temos justificativos para também não chegarmos lá?
Vamos continuar a vender património e a arranjar outros esquemas não normais todos os anos para termos 3% de défice?
Fazer isto um ano é uma coisa, mas dois, três..... Até quando?

terça-feira, 26 de agosto de 2003

Ferro a martelar em ferro frio

O Dr. Ferro veio a Portimão discursar longamente, abordando quase todos os temas da vida nacional de passagem, ficando muito pouco na retina. Propostas para o País não ouvimos, apenas piadas aos cachalotes dos Açores.
Já sabemos que a imagem não ajuda, mas discursar para massas é diferente de ler uma estória à filha ou rezar missa. Alguém que lhe diga isto!

Depois, houve duas questões referidas pelo Dr. Ferro que me ficaram a martelar o espírito.
A primeira, ao dizer que o Dr. Portas é que manda no Governo. Admitamos que sim. Florescem algumas questões:
- o que é que ele tem a ver com isso?
- isso torna as decisões políticas melhores ou piores?
- e será que o Dr. Soares continua a mandar no PS?
E se algo que se sabe sobre este Governo é que o Dr. Portas está um menino bem comportadinho e que quem manda é o Primeiro-Ministro.

A segunda foi dizer que a imagem de Portugal lá fora ficou afectada pelas imagens dos incêndios (até aqui tudo bem, penso que é unânime) ao verem pessoas com ramos de árvores a apagarem os fogos. Pois é, esqueci-me que no tempo do Governo do Dr. Ferro todos os cidadãos tinham um carro de bombeiros e um helicóptero à porta para combaterem incêndios. Este tipo de afirmações é que fazem as pessoas descrerem nos políticos e, mais grave, na política.

Não se pede ao Dr. Ferro que apresenta um programa de Governo alternativo cada vez que fala. Mas, a lógica que existe em Portugal de a oposição só servir para o bota-abaixo já passou de moda. As pessoas querem políticos e ideias estimulantes. Alguém que as faça acreditar num futuro melhor.
O Dr. Ferro, apesar de toda a seriedade que todos reconhecem, não vai chegar lá.

sexta-feira, 22 de agosto de 2003

A nova moda: contabilizar mortos!

De há uns tempos para cá tornou-se moda contabilizar mortos. Em todos os telejornais temos que ouvir a actualização de:
- mortos, feridos graves e feridos ligeiros ocorridos nas estradas portuguesas;
- mortos nas praias Portuguesas;
- mortos devido aos fogos florestais;
- mortos (Portugueses e Luso-descendentes) na África do Sul;
- mortos devido à vaga de calor;
- mortos (soldados dos EUA) no Iraque;
- mortos em Israel e na Palestina;

Esta forte tendência torna os telejornais autênticos velórios noticiosos.
Veja-se a questão dos mortos devido à vaga de calor, originária de França, e onde os nossos jornalistas querem à força que os hospitais lhes dêm dados dos mortos devido à vaga de calor, quando, por aquilo que vários médicos explicaram, o calor em si não costuma ser uma causa única para a morte, contribuindo sim para o agravamento de outras doenças. Mas, isso não lhes interessa, eles querem números de mortos, números de mortos e números de mortos.
Do Iraque chega-nos todos os dias a actualização dos soldadados dos EUA mortos. Sobre mortes de Iraquianos nada. Zero. Nem uma simples aproximação.

Já imagino a criação de um campeonato de mortes, tipo totoloto. Algo do tipo "totomorte". Eis o slogan:
"Esta semana não deixe de apostar. Puxe da sua parte sádica e aposte. Conflito Israel/Palestina, preveja quem mata mais esta semana. Quantos soldados dos EUA irão morrer nos próximos dias? Quantos Portugueses irão morrer na praia estes dias? Os fogos voltarão a matar? Os mortos podem dar-lhe dinheiro. Aposte nas mortes e goze mais a vida".

quinta-feira, 21 de agosto de 2003

Câmara Municipal de Olhão com "especáculos"

É verdade....
CM Olhão
Agora os nossos políticos ganham muito....

Nos últimos dias os órgãos de informação ficaram espantados pelo facto de o Primeiro-Ministro Espanhol ganhar menos do que o Português. O mesmo sucede com os Minsitros e Secretários de Estado, afiançam. Espantam-se como é possível uma situação destas, uma vez que o salário mínimo em Espanha é 3 vezes superior ao nosso.

O que nos importa a nós se Espanha paga mal aos seus políticos? A questão está em saber se os nossos são bem ou mal pagos. E se compararmos ordenados e responsabilidades dos nossos políticos com alguns gestores públicos, vemos claramente que a maiores responsabilidades equivale menor ordenado. Isto é que não está correcto e desincentiva a actividade política, que asim fica reduzida a funcionários públicos e pouco mais.

E já agora, parece que o Primeiro-Ministro Inglês ganha mais do dobro que o nosso. E daí?

quinta-feira, 14 de agosto de 2003

Rendimento Mínimo Garantido (2)

Um Rendimento Mínimo qualquer deveria ser apenas e exclusivamente para pessoas sem capacidade de inserção social, sendo os percursos de inserção analisados cuidadosamente e acompanhado o itenerário da família, aplicando as respectivas sanções sempre que a lei não fosse cumprida.
Um RMG assim seria bastante caro e a opção foi pela sua massificação, bastante a declaração de IRS para se poder beneficiar do mesmo, e nós sabemos quem paga impostos em Portugal.
O que existe é uma fantochada, onde os percursos de inserção existem mas ninguém os controla. Finalmente nos inícios deste ano fiscalizaram o RMG no Algarve e 76% dos benificiários ficaram sem ele.
Veja-se a economia informal que é alimentada pelo RMG. Quantas pessoas fizeram do trabalho não declarado + RMG uma forma de vida?
O RMG que existe é uma má ideia, pessimamente aplicada.

quarta-feira, 13 de agosto de 2003

A SIC não sabe....

... que Ourique não pertence ao Distrito de Faro?
Segundo o Jornal da Noite de ontem os fogos em Ourique eram no Distrito de Faro!
Balsemão, pá, não se arranja aí um mapita de Portugal para os jornalistas da SIC?
Já agora, a "nossa" Helena Figueiras esteve muito bem!

segunda-feira, 11 de agosto de 2003

Tartaruga na praia

Estava ontem na praia da Manta Rota (perto de Tavira) quando apareceu uma coisa grande a boiar no mar. Minutos depois dava à costa uma tartaruga grande, cheia de cabos e fios. Certamente terá ficado presa nas redes dos pescadores e depois morreu a lutar.
Porque é que estas coisas ainda acontecem?
O País vai torrando...

Tal como as alcagoitas, o país torra. Até o meu Algarve já arde....
O combate político em torno deste assunto deve estar a rebentar, sem antes se esperar que o fogo acabe.
Primeiro o fogo deve ser extinto e depois vamos discutir responsabilidades políticas. E, na boa maneira Portuguesa de "depois de casa roubada trancas na porta" vamos criar uma série de planos para a floresta e verbas generosas para os pôr em prática.
A minha preocupação vai para os que perderam tudo. Os que só têm a roupa no corpo. Os que têm empréstimos e agora os negócios ruiram. Os velhotes sem capacidade de recomeçar tudo de novo. Os que ficaram desempregados.
Estes têm que ser a prioridade. Depois logo se inicia a refloresta...

sexta-feira, 8 de agosto de 2003

Alcagoitas

1- Para torrar alcagoitas crocantes e sem perder o sal basta misturar uma clara de ovo para cada quilo de alcagoita e acrescentar o sal. Misture-as bem até formar um todo bem homogéneo.

2-Alcagoita Salgada
Ingredientes:
- 500 g de alcagoita
- 2 colheres de chá de sal
- 5 colheres de sopa de água
- 1 colher de sopa de óleo
Misture o sal e a água na alcagoita, numa travessa que aguente altas temperaturas e leve ao microondas, em Potência Alta por 12 minutos, mexendo a cada 3 minutos. Na terceira vez que abrir para mexer as alcagoitas, acrescente o óleo e mexa bem. Tire, deixe esfriar.

3-Alcagoita Doce de Microondas
Ingredientes:
- 500g de alcagoita
- 1 ½ chávena de açúcar
- 1 colher de café de fermento em pó
- 2 colheres de chá de chocolate em pó
- ¼ de chávena de água

Modo de Preparar
Leve as alcagoitas ao microondas por 3 minutos em potência alta, mexendo na metade do tempo.
Misture, às alcagoitas, todos os demais ingredientes.
Leve ao forno de microondas, em Potência Alta por 9 a 12 minutos, mexendo a cada 3 minutos. O ponto ideial é a hora que seca. Não deixe passar do ponto. Preste atenção, pois, se passar, o açúcar começará a derreter.
Guarde em vidro fechado.

quinta-feira, 7 de agosto de 2003

Máquina de Gelados

Será um bem de luxo, para haver tão pouca oferta no mercado?
Uma vez que já tive uma Phlips há uns anos, perguntei-lhes one poderia adquirir uma. Resposta: a Philips não vende máquinas de gelados em Portugal, só noutros Países.
Em todas as grandes superfícies só vi uma e não gostei.
Sérá estranho este produto numa região quente como o Algarve?

terça-feira, 5 de agosto de 2003

O Fogo

Destrói. Mata. Arruina. Pessoas sem nada. Vidas perdidas. Passados dizimados. Sofrimento. Medo. Criminosos à solta.
E depois uma grande incapacidade de controlar. Impotência. Bombeiros de rastos. Exército esforçado. Poucos resultados.
Será do tempo? Será da falta de equipamento? Será da incúria na prevenção?
Eu não sei certamente, e não quero o fogo ao pé de mim!

domingo, 3 de agosto de 2003

Rendimento Mínimo Garantido

José Pacheco Pareira escreveu, e bem, no seu Abrupto dois posts sobre o RMG ( e ).

Houve beneficiários que aproveitaram o RMG, uma vez que a fiscalização é, ou pelo menos era, muito fraca. Em Março/Abril foiram fiscalizados os beneficiários do RMG no Algarve e 76% ficaram sem ele, por diversas irregularidades. Ou seja, apenas 24% cumpriam escrupulosamente a lei...

Toda a estrutura do RMG estava montada de modo a que várias entidades participassem no processo de inserção social da família. Era feito um acordo em que a família recebia X (montante apurado por fórmula que incluia número de filhos, adultos, etc), mas cada elemento tinha obrigações a cumprir, por exemplo, os filhos tinham que acabar o ensino obrigatório, o pai tinha que se ir inscrever para emprego e/ou formação profissional, a mãe se tinha problemas de saúde deveria ser ancaminhada para a área da saúde, etc. Se um membro não cumprisse a sua obrigação, o agregado familiar perderia o valor que essa pessoa representava na tal fórmula.
A grande questão é que tudo isto nunca funcionou. O Estado pagou e calou. Pouco se importou com a sua inserção social.

Em Olhão temos mariscadores que de manhã vão apanhar marisco, quando a maré começa a encher voltam a terra, vendem o que apanharam nos restaurantes, recebem no mínimo 5 contos e depois passam o resto do dia nos cafés.... com excepção do dia em que têm de ir buscar o RMG....

Algumas empregadas domésticas recebem RMG enquanto trabalham ilegalmente em diversas casas, sem que ninguém saiba de nada.

O RMG contribuiu para manter, se não para aumentar, a informalidade na sociedade portuguesa. A pessoa via-se na contingência de perder o RMG se declarasse os reais ganhos: a opção foi clara para os mais espertos, não se declara o que se ganha, e assim poupam-se impostos e ainda se recebe como prémio de bom comportamento cívico o RMG. Quantas pessoas fizeram do trabalho não declarado + RMG uma forma de vida?

Para não falar de pessoas que se inscreviam em 2, 3 concelhos diferentes e de sedes das CLAS em que nem computador havia... Deviam estar à espera de controlar os RMG de cada concelho... à mão.... Base de dados nacional nunca houve, mas.... sem computador acho incrível!

sexta-feira, 1 de agosto de 2003

O mais importante da conversa entre o Dr. Ferro e o Dr. Costa...

... é que estes dois senhores dizem "pá" em todas as frases!
Quem terá sido a sua professora na Escola Primária?

quarta-feira, 30 de julho de 2003

Festa da Ria Formosa, em Faro

Lá terei que ir hoje degustar os mariscos da bela Ria Formosa. Segundo o Vialgarve também há delícias do mar, misturadas. Lanço desde aqui um movimento anti-delícias-do-mar, em festas tradicionais.
Este tipo de produtos, que nem faço a minima ideia de onde vêm ou como são feitos, aldrabam a nossa cozinha tradicional e qualquer dia já temos as crianças a aprenderem na escola que as benditas delícias opertencem à categoria dos mariscos...
Outra coisa que não suporto são os mexilhões congelados que a maioria dos restaurantes da região passou a introduzir nas açordas de marisco, arroz de marisco, etc. Não gosto de mexilhão por várias razões: tendo barba e sendo feio, o sabor, que também não é grande coisa, torna-se irrelevante.

A ver se não transformam tudo em hamburgueres...
Parque das Cidades Faro/Loulé e Teatro Municipal de Faro

O Presidente da Câmara Municipal de Faro prometeu modelos de gestão para estes dois empreendimentos que passam pela entrega de parte da construção e pela entrega de parte da gestão e empresas privadas vocacionadas especificamente para a área.

Agradece-se a intenção, pois o Estado directamente a gerir teatros, estádios de futebol, pistas de atletismo, pavilhões de congressos, parques temáticos, etc nunca deu bom resultado.
E ainda bem que não vai ser aqui que vão apostar em inverter esta prática secular...
Feira da Serra em S. Brás de Alportel

Fui lá no Sábado. Procurei pela malta dos Blog's Algarvios mas não os vi. A confusão era tanta que a procura estava destinada ao insucesso. Adiante.

O espaço já se vai tornando pequeno. A multidão inudava cada barraquinha, tenda ou bar, enfim, estava a "fazer cagulo". Havia de tudo, licor de alfarroba, medronho, bolos, bijuterias, artesãos a actuarem ao vivo, equitação, restaurantes, etc.
E depois temos sempre que gramar com os "institucionais", com stands enfadonhos e completamente desligados do clima do evento.... estava lá a AMAL, os outros nem reparei quem eram... Mas como têm que dar algum para o evento, lá vão com a sua barraquinha e funcionários com cara de frete... o habitual...

Porque será que temos que ter tantas festas concentradas no Verão, deixando o resto do ano à míngua? Dispersar estes eventos pelo ano todo não será uma forma de lutar contra a sazonalidade da região e a forte predominância do "turismo de sol e praia"?

quarta-feira, 23 de julho de 2003

A Cabala do Dr. Ferro

cabala
substantivo feminino
· interpretação alegórica do Velho Testamento, entre os antigos Judeus;
· espécie de ocultismo;

· figurado
· maquinação;
· intriga;
· conluio;

(Do hebr. qabbalah, «tradição», referindo-se à tradição esotérica, pelo fr. cabale, «intriga»)


Estará o Dr. Ferro dedicado ao ocultismo?
Pensará ele que a Ministra da justiça é que ordena as escutas telefónicas?
Ele anda baralhado. Recomendo umas fériazitas na bela região Algarvia. Apanhar conquilhas fazia-lhe bem.

sexta-feira, 18 de julho de 2003

As motas "andem" ai!

Começa hoje a concentração de motas de Faro. A Policia aconselha os habitantes de Faro a não irem de carro à Praia de Faro, certamente para evitar que os carros sejam maltratados pela malta das motas.
Nestes movimentos de massas durante a concentração, a malta das motas é que é fixe. É um sentimento que se gera na multidão, sem partir especificamente de ninguém. Só que depois temos motards (os que têm nível), motoqueiros (sem classe e sem e saberem comprtar) e malta-sem-moto-mas-que-faz-mais-estragos-que-todos. E são estes dois últimos que muitas vezes provocam disturbios e confusão.

Não concebo que nos 3 dias da concentração esteja praticamente vedada a entrada na Praia de Faro para não motards. E quando um carro lá entra, o pobre condutor tenha que ver o seu carro a ser abanado, regado com cerveja e insultado. E tudo fica por aqui se, obediente, seguir o seu caminho...

Nestes 3 dias não há leis para as motas. Todos podem andar sem capacete, fazer cavalinhos, raters e quantas diabruras entenderem. A policia, tal como os espectadores, observam. Coocam umas fitas, impedem os espectadores de se colocarem em zonas onde pudessem incentivar os motards e pouco mais. Permitem tudo! Até criancinhas de 5/6 anos sem capacete, o que não parece aceitável num país civilizado.

A policia não pode mandar parar as motas uma a uma e aplicar-lhes as respectivas multas respeitantes às infracções mais graves. Até poderia causar um tumulto. Mas, pode apontar as matriculas e enviar um postal para casa.... que só será recebido vários dias após o fim da concentração. Certamente no ano seguinte a reflexão seria maior...

Por fim, o Moto Clube de Faro e os motards (os tais com classe) tentam que tudo se passe da forma mais civilizada possível. O problema é que ninguém controla as massas. E a Policia observa...
Farense: Tudo Mais Fácil

Na AG de ontem tudo ficou mais fácil. O Presidente de clube apresentou uma lista para a Admnistração da SAD, que foi aprovada. Uma boma de gasolina vai trazer dinheiro fresco e uma fonte de rendimento permanente.
Se os grandes clubes têm bombas de gasolina, porque há de o Farense ser diferente?
Na AG da SAD, na próxima segunda-feira, a novela continua!

quinta-feira, 17 de julho de 2003

Farense - Hoje, dupla solicitação às 21.30h

Um pequeno resumo da estória.
Na última AG do Farense o Dr. José Vitorino (Presidente da Câmara Municipal de Faro) foi alvo de uma moção de desconfiança por dar pouco apoio ao Farense.
O Dr. Vitorinino solicitou uma AG ao Presidente da Ass. Geral do Farense (Dr. Veloso Gomes), com um ponto único que seriam as relações entre a CMF e o Farense.
O Presidente da Ass. Geral entendeu fazer uma ordem de trabalhos diferente e marcou a AG para hoje.
O Dr. Vitorino não gostou, disse que não ia à Ass. Geral do Farense e marcou um encontro com os Farenses para discutir "as relações entre a CMF e o Farense", no conservatório, para a mesma hora da Ass. Geral do Farense.

À mesma hora, o Farense discute-se em dois sítios.
Em vez de todos rumarem juntos, degladiam-se.
Agora que tudo está complicado, tentam tornar tudo pior.
Farense SAD, a agonia em 4 actos

Ontem aconteceu mais uma parte da AG da Farense SAD. Mais uma vez sem lista candidata para o Conselho de Administração.
A Câmara Municipal de Faro aprovou a inteção de dar um espaço grande em frente ao Fórum Algarve, para bomba de gasolina e parque de estacionamento. Só que o dinheiro pode não vir a tempo para esta época. Até a II B está difícil.
Segunda-feira será o 4º acto deste drama. Esperam-se soluções.
Estranha-se novamente a não comparência na AG do verdadeiro dono da SAD, o Presidente da Câmara. Bem ou mal, ele é que deveria mandar. As heranças têm destas coisas, deixam junto o bom e o mau. E ambos têm que ser aceites, goste-se ou não!
Os erros do passado enleiam o presente. Afinal de contas, o povo quer ver a redondinha a rolar no relvado, com ou sem dinheiro!
Bons Políticos e Mal Pagos?!!!

É possível. Tudo é sempre possível. É pouco provável.
Um relatório do Tribunal de Contas veio colocar esta questão na actualidade nacional, uma vez que o País está para banhos, e merece alguma rerflexão.
Se o presidente da Caixa Geral de Depósitos ganha 5.000 cts/mês, forma outras benesses, a questão não está em dizer que ganha muito. A CGD não pode ter um presidente a ganhar 250 cts., pois os bons não custam esse valor. O que é bom custa dinheiro. E para se ter resultados temos que ter os melhores.
Na política é igual. Se o PR ganha 1.300 cts, o Durão cerca de 1.000 cts e os Ministros oitocentos e tal contos, o que se está à espera? Milagres? Santos?

Os políticos têm medo de dizer que ganham mal, pois alguns (leia-se PCP e Bloco) irão logo aproveitar para falar das pessoas com pensões de miséria, dos desempregados, etc. O normal discurso que pensam que ainda rende votos.

Os restantes 3 partidos dever-se-iam pôr de acordo e aumentar os vencimentos dos políticos para somas próximas das do mercado, sob pena de a gestão da coisa pública nunca ser feita pelos melhores. E isso, acreditem!, sai caríssimo!

quarta-feira, 16 de julho de 2003

Cerveja Preta

Adoro SuperBock Stout, a pretinha da SuperBock.

Já provaram com alcagoitas?
Entan MACJÊTE?!!!

O MACJÊTE nunc más diss nad. Nã compreend! Trá de vácances? Trá imigrad? Trá a seri preprad pla Gêéneérri pra iri pró Iraqui?

Moç déb, dá de vaia, moç marafad!
A importância das fotos no Bilhete de Identidade

Porque será que não queriam aceitar as minhas fotos para o BI, só porque foram tiradas com máquina digital e imprimidas numa impressora?

Eis a conversa:
A-senhora-que-não-gostava-das-minhas-fotos: "Estas fotos são esquisitas!" (referia-se ao facto de não terem aquela margem branca)
A-senhora-que-não-gostava-das-minhas-fotos: "Parecem daquelas feitas a computador!
Moi: " E foram!"
A-senhora-que-não-gostava-das-minhas-fotos: "Não sei se posso aceitar.... estão um pouco escuras..."
Moi: "Se fossem tiradas no fotógrafo também poderiam ficar escuras, tudo depende do artista!"
A-senhora-que-não-gostava-das-minhas-fotos: "Não sei.... está bem... vou aceitar"
Moi: "Ufa!
Ó mãe, ó mãe, as motas vêm aí...

Cavalinhos, cavalões, raters, confusão, caos, praia de Faro com novo dono, crianças e pais sem capacete.

Vamos visitar a avó?

segunda-feira, 14 de julho de 2003

Pagar o Turismo

O Turismo tem preço. O Algarve beneficia muitíssimo com o turismo, certamente seriamos a continuação do Alentejo, mas com mais água salgada, se não fosse esta nobre actividade económica.

Mas, todos pagam um preço.
Os prédios amontoados junto à praia, serviços de restauração sem qualidade equivalente ao preço, a falta de espaços verdes, etc são algumas facturas já pagas pela região. A ânsia do dinheiro fácil e rápido ditou as suas leis.
Os habitantes do ano todo vêm a sua pacatez de vida alterada nos meses de verão, chegando a pontos de alguma saturação nas zonas mais densamente "turisticadas".
Os preços também sobem nesta altura. Se for ao mercado de Quarteira comprar um belo peixinho em Maio ou em Agosto verá a brutal diferença...

Apesar de todos da região beneficiarem do turismo, directa ou indirectamente, custa um pouco aos que não trabalham nesta actividade terem custos extra no verão, não beneficiando directamente da actividade turistica.
Sondagens

Tenho a sensação que quem governa para o show tem habitualmente bons "scores" nas sondagens, e quando cai é de podre. Quem se arrisca a empreender reformas, começa por resultados péssimos nas sondagens, aumentando o "score" à medida que as reformas frutificam e a população melhora a sua qualidade de vida.

É uma sensação...

sábado, 12 de julho de 2003

Agonia na Farense SAD

Mais uma AG sem decisões. O Presidente da Câmara e dono da SAD não apareceu. A agonia continua...

sexta-feira, 11 de julho de 2003

Subsí­dio de Desemprego

O nosso modelo social prevê, e muito bem, o recebimento do subsí­dio de desemprego por parte daqueles que após um x tempo de contribuições para a segurança social ficam involuntariamente na situação de desemprego.

Como em qualquer modelo existem pontos fracos. Um deles prende-se com o facto de algumas pessoas se acomodarem ao subsídio, que passa a ser visto como um ordenado sem trabalho, para não lhe chamar subsídio de férias permanente, interessando-se pela procura de emprego apenas quando este está a terminar. Para não falar dos que arranjam mil e uma formas de nunca aceitarem os empregos que lhes são propostos, acumulando subsídio e pequenos biscates.

Por outro lado, às entidades empregadoras interessa pouco informar que a pessoa não quis aceitar o emprego, uma vez que esta declaração acarretaria a cessação do subsídio para o desempregado e, posteriomente, possíveis represálias para a empresa.

Uma possível solução, certamente polémica e sem receptividade por parte dos sindicatos, seria a transformação de parte do subsídio de desemprego em empréstimo. Desta forma, o esforço dos desempregados seria muito maior, acabar-se-ia com alguns esquemas de trabalhar na época alta 6 meses e ficar mais 6 a receber subsídio e a malandragem já pensava duas vezes.

Talvez seja pólémico mas, com alguns ajustes, é passível se der posto em prática. Ou não?

quinta-feira, 10 de julho de 2003

MACJÊTE faz bem à alma!!!

Para começar uma manhã de forma alegre e descontraída vá a MACJÊTE
Rejuvenesce a alma...
Eu vou e já estou mais novo..... eheeh

Lá poderá assistir ao nascimento de uma nova linguagem escrita: o Algarvio ou Algarvês, conforme preferirem...

Moçe déb, vaiam ao saite do blóg dos moçes e vêjam cus vosses olhes!
Drama na Farense SAD

Por falta de capacidade financeira para solver os seus compromissos, a Farense SAD não irá disputar a II liga, a que teria direito por mérito desportivo, mas sim a II Divisão B.

Sendo a Câmara Municipal de Faro a principal accionista da SAD, não importando discutir se bem ou mal porque foi feito pelo anterior presidente (Sr. Luis Coelho, PS), esta tem que indicar o caminho, dizer o que pretende fazer da SAD.

Por tudo isto, o Dr. José Vitorino deveria ter comparecido na Assembleia Geral da SAD no passado dia 1 de Julho porque efectivamente ele é que manda na SAD.
E com o início de incêndio que ali começou, deveria ter ido à Assembleia Geral do Sporting Clube Farense (3 de Julho), onde o incêndio se descontrolou e o chamuscou. Foi premiado com uma moção de desconfiança (já agora gostaria de saber se juridicamente é possível uma entidade aprovar uma moção de censura em relação a uma pessoa estranha à própria entidade).
E agora penso que irá à continuação da AG da SAD (amanhã, dia 11) e pediu para ser convocada nova AG do clube para rebater a moção de desconfiança (dia 17).

A ver vamos...
Telejornais

Gosto de ver noticiários. Tenho gramado com velórios televisivos.
Gosto de saber o que se passa de relevante no meu país e no Mundo. Levo com taxistas, assaltos de vão de escada, doenças, recusas em ficar sem uma ponte uns meses e as obras que a Junta de Freguesia fez e que são um atentado ao ambiente sei lá onde.
Gosto de telejornais de 30/40 minutos. Apanho com jogos de futebol de hora e meia, com intervalo a meio para fazer o chichi da ordem.
Gosto de ouvir resumidamente o que é banal e detalhadamente o que é importante. Ouço 10 minutos o comandante dos bombeiros explicar a origem, a forma de combate e as perspectivas de evolução de um qualquer incêndio e 30 segundos sobre o que se passou na Assembleia da República.
Gosto de entrevistas curtas e incisivas. Não suporto F. Felgueiras em directo do Brasil mais de 45 minutos.

Serei esquisito?

terça-feira, 8 de julho de 2003

Carta de Condução Plastificada

Eu sei. É grave. Não devia ter cometido esse erro. Coisas da juventude. Tinha 21 anos. A inexperiência. O voluntarismo excessivo. Como fui capaz? Como poderei pagar o meu erro à sociedade?

Admito. Eu plas.... Ufa! Custa! Não consigo. Mais uma vez! Eu plastif.... Poças! Custa! Como custa! Eu, bom, eu...., eu plastifiquei a minha carta de condução! Ufa! Já foi. Está dito, está dito! Custou!!! Estou pronto para ser julgado na praça pública. Eu pequei!!!

Sei que a juventude não justifica tudo. Dever-me-ia ter aconselhado com alguém mais velho. Ter abordado um policia na rua. Perguntado à revista "Maria". Não fiz nada disso! Como me arrependo. Estou a ver o filme todo e apetece-me voltar atrás e mudar este passado imundo.

Vou ter tirar uma nova carta de condução, pois alterei a minha morada. Fui ao site da DGV e li que não teria que pagar nada, uma vez que esta substituição da carta de condução é devido a alteração de residência. Pode-se ver isso aqui.

Ainda por cima o director é meio parecido com alguém que anda desaparecido, né?


Que sorte, pensei eu! Poupo os tais 19,95€ (gosto deste tipo de preço, lembra-me as camisas em saldo!). Entretanto perguntei ao segurança se era mesmo assim, pois nestas coisas do Estado quando são de borla, desconfio sempre! E ele disse-me que sim, excepto se a carta estiver em mau estado ou plastificada!!!!

Comparar o mau estado com plastificada é um desaforo! Se a plastificamos é para não ficar em mau estado, certo? E se a carta vai para o lixo, qual a diferença de estar plastificada ou em mau estado. Será para emoldurar? Adoro estas lógicas estatais....

Entretanto, como o BI caducou uma semana antes não pude pedir a nova carta.

Eis o meu plano de acção:

1 - Colocar um tacho com água ao fogo e a carta por cima numa qualquer rede, a ver se descola. Se ficar boa, tudo bem. Se ficar pior, que se lixe, passo da categoria "carta em mau estado" para a categoria "carta plastificada" e lá pago a camisa!

2 - Caso resolva não fazer o passo 1 por esquecimento, vou à DGV e se me manderem pagar os 19,95€ peço para ver o suporte legal. Depois de mo mostrarem (quanto tempo levarão???), direi que discordo e peço o livro amarelo das reclamações. Levam-me os 19,95€, mas vão ter trabalhinho a responder aos superiores devido à reclamação. Nesta altura terei os bolsos mais leves e a alma mais aliviada!

Divulguem esta situação aos vossos amigos. Se não enviarem a pelo menos 80% da vossa lista de contactos, a vossa carta ficará plastificada e terão que pagar 19,95€!!!
Sindicalismo

Estou farto de ver sindicalistas profissionais, certamente há muito sem hábitos de trabalho subordinado, no activo sindical há dezenas de anos. Parece que o forno se partiu e temos que continuar levar com a fornada de há 20 anos!
E depois têm um grave problema: preferem deixar um mau trabalhador empregado, quando existe à porta um bom trabalhador desempregado. O emprego é para sempre, seja o trabalhador bom ou mau, baldas ou competente, irresponsável ou esforçado. Mais, se o trabalhador é mau, certamente haverá uma qualquer explicação: talvez mau ambiente de trabalho, quiça traumas de infância ou mesmo um má relação com o dono da empresa (invariavelmente o mau da fita). No Estado a situação ainda é mais complicada, pois os sindicatos insistem em defender de forma igual os trabalhadores que são desiguais. E assim, limitam a motivação dos bons e facilitam a preguiça dos maus. À boa maneira portuguesa....

segunda-feira, 7 de julho de 2003

Beber Vinho

Salazar dizia que beber vinho dava de comer a um milhão de Portugueses.
Hoje os nossos vinhos apostam no marketing, ganham prémios e são bons. Temos boa pinga!
O perigo de o consumo de vinho ser dizimado pelo consumo de cerveja está ultrapassado e se a cerveja é bebida dos mais novos, mais tarde "conhcecem" o vinho e ficam amigos!
A minha questão prende-se com os preços a que os restaurantes vendem os vinhos. Uma garrafa de BSE que custa 3,5€ no José Maria da Fonseca em Azeitão, e 4,5/5€ nos supermercados, nos restaurantes vai para os 10/12€.
Compreendo que os restaurantes ganhem bom dinheiro nos pratos que confeccionam, uma vez que os ingredientes são por vezes rapidamente pereciveis (veja-se o peixe e o marisco) e existe a arte do cozinheiro. Mas, comprar uma garrafa de vinho, pô-la a refrescar meia duzia de horas, abri-la e servi-la, e ganhar mais de 100% com este trabalho mínimo é uma roubalheira e uma condicionante fortíssima a que se bebam vinhos de qualidade nos restaurantes. Dai a opção mais comum: uma cervejinha ou um vinhaço da casa!

Ai vai uma carta para a malta dos Restaurantes:

"Exmos. Donos de Restaurantes e afins

Enquanto Português que me orgulho de ser, considero o vinho parte da nossa herança cultural, e porque não dizê-lo, parte de nós mesmos (pelo menos daqueles que o vazam!).
Os Srs. ganham demasiado com o vinho em relação ao pouco trabalho que têm. Tornando o produto demasiado caro, a roçar a roubalheira, desviam os consumidores para as gamas mais baixas (leia-se vinho da casa) e para a cervejinha.
Desta forma não promovem o bom vinho (com o qual ganhariam mais se baixassem a margem de lucro) e poderão a prazo condenar algum do bom vinho Português e beneficiar o produtores do vinho a martelo.
Mais, enquanto o vinho rasca me dá umas tremendas ressacas, a cervejinha faz-me aumentar a barriguinha! Pensem nisto!
Procurem diminuir os produtos estragados, ganhar clientes para os restaurantes (boa comida, preço acessível, serviço simpático, ganhando pouco de cada vez na óptica de manter o cliente), inovar nos pratos, comprar bons ingredientes (em especial carne e peixe), sobremesas caseiras e deliciosas, etc.
Ser o vinho a recuperar as fracas margens nos outros produtos, não!
Organizem-se e deixem o vinho de qualidade respirar!
Não abafem o vinho...

Cumprimentos vitivinícolas,

Al Cagoita"
O Alcagoita

O Alcagoita é um blog de pequenas coisas que podem fazer a diferença. Assuntos importantes, opiniões, mais ou menos acertadas, e, acima de tudo, uma grande vontade de fazer com que este País vá para a frente.

Hoje em dia fazer política parece aos olhos de muitos como uma forma de conseguir tachos mais rapidamente. Muitas vezes os políticos são todos metidos no mesmo saco, sendo-lhes aplicado por igual o mesmo rótulo: "chulo". Sendo a actividade política bastante denegrida, gostar, melhor, ousar gostar de política, da gestão da coisa pública, é quase pecado. E se a pessoa o faz com regras, sem ceder a jogadas e esquemas, da "forma correcta" ou não é levado a sério ou nunca atinge o poder.

O Alcagoita acredita que o compadrio vai acabar um dia e os partidos terão democracia interna. Nesse dia, valerão as pessoas e os projectos.
O Alcagoita quer contribuir para um Portugal melhor, onde a política e os politícos sejam dignificados.
O Alcagoita procura ser intelectualmente honesto.

Vai uma alcagoita?