quarta-feira, 30 de julho de 2003

Festa da Ria Formosa, em Faro

Lá terei que ir hoje degustar os mariscos da bela Ria Formosa. Segundo o Vialgarve também há delícias do mar, misturadas. Lanço desde aqui um movimento anti-delícias-do-mar, em festas tradicionais.
Este tipo de produtos, que nem faço a minima ideia de onde vêm ou como são feitos, aldrabam a nossa cozinha tradicional e qualquer dia já temos as crianças a aprenderem na escola que as benditas delícias opertencem à categoria dos mariscos...
Outra coisa que não suporto são os mexilhões congelados que a maioria dos restaurantes da região passou a introduzir nas açordas de marisco, arroz de marisco, etc. Não gosto de mexilhão por várias razões: tendo barba e sendo feio, o sabor, que também não é grande coisa, torna-se irrelevante.

A ver se não transformam tudo em hamburgueres...
Parque das Cidades Faro/Loulé e Teatro Municipal de Faro

O Presidente da Câmara Municipal de Faro prometeu modelos de gestão para estes dois empreendimentos que passam pela entrega de parte da construção e pela entrega de parte da gestão e empresas privadas vocacionadas especificamente para a área.

Agradece-se a intenção, pois o Estado directamente a gerir teatros, estádios de futebol, pistas de atletismo, pavilhões de congressos, parques temáticos, etc nunca deu bom resultado.
E ainda bem que não vai ser aqui que vão apostar em inverter esta prática secular...
Feira da Serra em S. Brás de Alportel

Fui lá no Sábado. Procurei pela malta dos Blog's Algarvios mas não os vi. A confusão era tanta que a procura estava destinada ao insucesso. Adiante.

O espaço já se vai tornando pequeno. A multidão inudava cada barraquinha, tenda ou bar, enfim, estava a "fazer cagulo". Havia de tudo, licor de alfarroba, medronho, bolos, bijuterias, artesãos a actuarem ao vivo, equitação, restaurantes, etc.
E depois temos sempre que gramar com os "institucionais", com stands enfadonhos e completamente desligados do clima do evento.... estava lá a AMAL, os outros nem reparei quem eram... Mas como têm que dar algum para o evento, lá vão com a sua barraquinha e funcionários com cara de frete... o habitual...

Porque será que temos que ter tantas festas concentradas no Verão, deixando o resto do ano à míngua? Dispersar estes eventos pelo ano todo não será uma forma de lutar contra a sazonalidade da região e a forte predominância do "turismo de sol e praia"?

quarta-feira, 23 de julho de 2003

A Cabala do Dr. Ferro

cabala
substantivo feminino
· interpretação alegórica do Velho Testamento, entre os antigos Judeus;
· espécie de ocultismo;

· figurado
· maquinação;
· intriga;
· conluio;

(Do hebr. qabbalah, «tradição», referindo-se à tradição esotérica, pelo fr. cabale, «intriga»)


Estará o Dr. Ferro dedicado ao ocultismo?
Pensará ele que a Ministra da justiça é que ordena as escutas telefónicas?
Ele anda baralhado. Recomendo umas fériazitas na bela região Algarvia. Apanhar conquilhas fazia-lhe bem.

sexta-feira, 18 de julho de 2003

As motas "andem" ai!

Começa hoje a concentração de motas de Faro. A Policia aconselha os habitantes de Faro a não irem de carro à Praia de Faro, certamente para evitar que os carros sejam maltratados pela malta das motas.
Nestes movimentos de massas durante a concentração, a malta das motas é que é fixe. É um sentimento que se gera na multidão, sem partir especificamente de ninguém. Só que depois temos motards (os que têm nível), motoqueiros (sem classe e sem e saberem comprtar) e malta-sem-moto-mas-que-faz-mais-estragos-que-todos. E são estes dois últimos que muitas vezes provocam disturbios e confusão.

Não concebo que nos 3 dias da concentração esteja praticamente vedada a entrada na Praia de Faro para não motards. E quando um carro lá entra, o pobre condutor tenha que ver o seu carro a ser abanado, regado com cerveja e insultado. E tudo fica por aqui se, obediente, seguir o seu caminho...

Nestes 3 dias não há leis para as motas. Todos podem andar sem capacete, fazer cavalinhos, raters e quantas diabruras entenderem. A policia, tal como os espectadores, observam. Coocam umas fitas, impedem os espectadores de se colocarem em zonas onde pudessem incentivar os motards e pouco mais. Permitem tudo! Até criancinhas de 5/6 anos sem capacete, o que não parece aceitável num país civilizado.

A policia não pode mandar parar as motas uma a uma e aplicar-lhes as respectivas multas respeitantes às infracções mais graves. Até poderia causar um tumulto. Mas, pode apontar as matriculas e enviar um postal para casa.... que só será recebido vários dias após o fim da concentração. Certamente no ano seguinte a reflexão seria maior...

Por fim, o Moto Clube de Faro e os motards (os tais com classe) tentam que tudo se passe da forma mais civilizada possível. O problema é que ninguém controla as massas. E a Policia observa...
Farense: Tudo Mais Fácil

Na AG de ontem tudo ficou mais fácil. O Presidente de clube apresentou uma lista para a Admnistração da SAD, que foi aprovada. Uma boma de gasolina vai trazer dinheiro fresco e uma fonte de rendimento permanente.
Se os grandes clubes têm bombas de gasolina, porque há de o Farense ser diferente?
Na AG da SAD, na próxima segunda-feira, a novela continua!

quinta-feira, 17 de julho de 2003

Farense - Hoje, dupla solicitação às 21.30h

Um pequeno resumo da estória.
Na última AG do Farense o Dr. José Vitorino (Presidente da Câmara Municipal de Faro) foi alvo de uma moção de desconfiança por dar pouco apoio ao Farense.
O Dr. Vitorinino solicitou uma AG ao Presidente da Ass. Geral do Farense (Dr. Veloso Gomes), com um ponto único que seriam as relações entre a CMF e o Farense.
O Presidente da Ass. Geral entendeu fazer uma ordem de trabalhos diferente e marcou a AG para hoje.
O Dr. Vitorino não gostou, disse que não ia à Ass. Geral do Farense e marcou um encontro com os Farenses para discutir "as relações entre a CMF e o Farense", no conservatório, para a mesma hora da Ass. Geral do Farense.

À mesma hora, o Farense discute-se em dois sítios.
Em vez de todos rumarem juntos, degladiam-se.
Agora que tudo está complicado, tentam tornar tudo pior.
Farense SAD, a agonia em 4 actos

Ontem aconteceu mais uma parte da AG da Farense SAD. Mais uma vez sem lista candidata para o Conselho de Administração.
A Câmara Municipal de Faro aprovou a inteção de dar um espaço grande em frente ao Fórum Algarve, para bomba de gasolina e parque de estacionamento. Só que o dinheiro pode não vir a tempo para esta época. Até a II B está difícil.
Segunda-feira será o 4º acto deste drama. Esperam-se soluções.
Estranha-se novamente a não comparência na AG do verdadeiro dono da SAD, o Presidente da Câmara. Bem ou mal, ele é que deveria mandar. As heranças têm destas coisas, deixam junto o bom e o mau. E ambos têm que ser aceites, goste-se ou não!
Os erros do passado enleiam o presente. Afinal de contas, o povo quer ver a redondinha a rolar no relvado, com ou sem dinheiro!
Bons Políticos e Mal Pagos?!!!

É possível. Tudo é sempre possível. É pouco provável.
Um relatório do Tribunal de Contas veio colocar esta questão na actualidade nacional, uma vez que o País está para banhos, e merece alguma rerflexão.
Se o presidente da Caixa Geral de Depósitos ganha 5.000 cts/mês, forma outras benesses, a questão não está em dizer que ganha muito. A CGD não pode ter um presidente a ganhar 250 cts., pois os bons não custam esse valor. O que é bom custa dinheiro. E para se ter resultados temos que ter os melhores.
Na política é igual. Se o PR ganha 1.300 cts, o Durão cerca de 1.000 cts e os Ministros oitocentos e tal contos, o que se está à espera? Milagres? Santos?

Os políticos têm medo de dizer que ganham mal, pois alguns (leia-se PCP e Bloco) irão logo aproveitar para falar das pessoas com pensões de miséria, dos desempregados, etc. O normal discurso que pensam que ainda rende votos.

Os restantes 3 partidos dever-se-iam pôr de acordo e aumentar os vencimentos dos políticos para somas próximas das do mercado, sob pena de a gestão da coisa pública nunca ser feita pelos melhores. E isso, acreditem!, sai caríssimo!

quarta-feira, 16 de julho de 2003

Cerveja Preta

Adoro SuperBock Stout, a pretinha da SuperBock.

Já provaram com alcagoitas?
Entan MACJÊTE?!!!

O MACJÊTE nunc más diss nad. Nã compreend! Trá de vácances? Trá imigrad? Trá a seri preprad pla Gêéneérri pra iri pró Iraqui?

Moç déb, dá de vaia, moç marafad!
A importância das fotos no Bilhete de Identidade

Porque será que não queriam aceitar as minhas fotos para o BI, só porque foram tiradas com máquina digital e imprimidas numa impressora?

Eis a conversa:
A-senhora-que-não-gostava-das-minhas-fotos: "Estas fotos são esquisitas!" (referia-se ao facto de não terem aquela margem branca)
A-senhora-que-não-gostava-das-minhas-fotos: "Parecem daquelas feitas a computador!
Moi: " E foram!"
A-senhora-que-não-gostava-das-minhas-fotos: "Não sei se posso aceitar.... estão um pouco escuras..."
Moi: "Se fossem tiradas no fotógrafo também poderiam ficar escuras, tudo depende do artista!"
A-senhora-que-não-gostava-das-minhas-fotos: "Não sei.... está bem... vou aceitar"
Moi: "Ufa!
Ó mãe, ó mãe, as motas vêm aí...

Cavalinhos, cavalões, raters, confusão, caos, praia de Faro com novo dono, crianças e pais sem capacete.

Vamos visitar a avó?

segunda-feira, 14 de julho de 2003

Pagar o Turismo

O Turismo tem preço. O Algarve beneficia muitíssimo com o turismo, certamente seriamos a continuação do Alentejo, mas com mais água salgada, se não fosse esta nobre actividade económica.

Mas, todos pagam um preço.
Os prédios amontoados junto à praia, serviços de restauração sem qualidade equivalente ao preço, a falta de espaços verdes, etc são algumas facturas já pagas pela região. A ânsia do dinheiro fácil e rápido ditou as suas leis.
Os habitantes do ano todo vêm a sua pacatez de vida alterada nos meses de verão, chegando a pontos de alguma saturação nas zonas mais densamente "turisticadas".
Os preços também sobem nesta altura. Se for ao mercado de Quarteira comprar um belo peixinho em Maio ou em Agosto verá a brutal diferença...

Apesar de todos da região beneficiarem do turismo, directa ou indirectamente, custa um pouco aos que não trabalham nesta actividade terem custos extra no verão, não beneficiando directamente da actividade turistica.
Sondagens

Tenho a sensação que quem governa para o show tem habitualmente bons "scores" nas sondagens, e quando cai é de podre. Quem se arrisca a empreender reformas, começa por resultados péssimos nas sondagens, aumentando o "score" à medida que as reformas frutificam e a população melhora a sua qualidade de vida.

É uma sensação...

sábado, 12 de julho de 2003

Agonia na Farense SAD

Mais uma AG sem decisões. O Presidente da Câmara e dono da SAD não apareceu. A agonia continua...

sexta-feira, 11 de julho de 2003

Subsí­dio de Desemprego

O nosso modelo social prevê, e muito bem, o recebimento do subsí­dio de desemprego por parte daqueles que após um x tempo de contribuições para a segurança social ficam involuntariamente na situação de desemprego.

Como em qualquer modelo existem pontos fracos. Um deles prende-se com o facto de algumas pessoas se acomodarem ao subsídio, que passa a ser visto como um ordenado sem trabalho, para não lhe chamar subsídio de férias permanente, interessando-se pela procura de emprego apenas quando este está a terminar. Para não falar dos que arranjam mil e uma formas de nunca aceitarem os empregos que lhes são propostos, acumulando subsídio e pequenos biscates.

Por outro lado, às entidades empregadoras interessa pouco informar que a pessoa não quis aceitar o emprego, uma vez que esta declaração acarretaria a cessação do subsídio para o desempregado e, posteriomente, possíveis represálias para a empresa.

Uma possível solução, certamente polémica e sem receptividade por parte dos sindicatos, seria a transformação de parte do subsídio de desemprego em empréstimo. Desta forma, o esforço dos desempregados seria muito maior, acabar-se-ia com alguns esquemas de trabalhar na época alta 6 meses e ficar mais 6 a receber subsídio e a malandragem já pensava duas vezes.

Talvez seja pólémico mas, com alguns ajustes, é passível se der posto em prática. Ou não?

quinta-feira, 10 de julho de 2003

MACJÊTE faz bem à alma!!!

Para começar uma manhã de forma alegre e descontraída vá a MACJÊTE
Rejuvenesce a alma...
Eu vou e já estou mais novo..... eheeh

Lá poderá assistir ao nascimento de uma nova linguagem escrita: o Algarvio ou Algarvês, conforme preferirem...

Moçe déb, vaiam ao saite do blóg dos moçes e vêjam cus vosses olhes!
Drama na Farense SAD

Por falta de capacidade financeira para solver os seus compromissos, a Farense SAD não irá disputar a II liga, a que teria direito por mérito desportivo, mas sim a II Divisão B.

Sendo a Câmara Municipal de Faro a principal accionista da SAD, não importando discutir se bem ou mal porque foi feito pelo anterior presidente (Sr. Luis Coelho, PS), esta tem que indicar o caminho, dizer o que pretende fazer da SAD.

Por tudo isto, o Dr. José Vitorino deveria ter comparecido na Assembleia Geral da SAD no passado dia 1 de Julho porque efectivamente ele é que manda na SAD.
E com o início de incêndio que ali começou, deveria ter ido à Assembleia Geral do Sporting Clube Farense (3 de Julho), onde o incêndio se descontrolou e o chamuscou. Foi premiado com uma moção de desconfiança (já agora gostaria de saber se juridicamente é possível uma entidade aprovar uma moção de censura em relação a uma pessoa estranha à própria entidade).
E agora penso que irá à continuação da AG da SAD (amanhã, dia 11) e pediu para ser convocada nova AG do clube para rebater a moção de desconfiança (dia 17).

A ver vamos...
Telejornais

Gosto de ver noticiários. Tenho gramado com velórios televisivos.
Gosto de saber o que se passa de relevante no meu país e no Mundo. Levo com taxistas, assaltos de vão de escada, doenças, recusas em ficar sem uma ponte uns meses e as obras que a Junta de Freguesia fez e que são um atentado ao ambiente sei lá onde.
Gosto de telejornais de 30/40 minutos. Apanho com jogos de futebol de hora e meia, com intervalo a meio para fazer o chichi da ordem.
Gosto de ouvir resumidamente o que é banal e detalhadamente o que é importante. Ouço 10 minutos o comandante dos bombeiros explicar a origem, a forma de combate e as perspectivas de evolução de um qualquer incêndio e 30 segundos sobre o que se passou na Assembleia da República.
Gosto de entrevistas curtas e incisivas. Não suporto F. Felgueiras em directo do Brasil mais de 45 minutos.

Serei esquisito?

terça-feira, 8 de julho de 2003

Carta de Condução Plastificada

Eu sei. É grave. Não devia ter cometido esse erro. Coisas da juventude. Tinha 21 anos. A inexperiência. O voluntarismo excessivo. Como fui capaz? Como poderei pagar o meu erro à sociedade?

Admito. Eu plas.... Ufa! Custa! Não consigo. Mais uma vez! Eu plastif.... Poças! Custa! Como custa! Eu, bom, eu...., eu plastifiquei a minha carta de condução! Ufa! Já foi. Está dito, está dito! Custou!!! Estou pronto para ser julgado na praça pública. Eu pequei!!!

Sei que a juventude não justifica tudo. Dever-me-ia ter aconselhado com alguém mais velho. Ter abordado um policia na rua. Perguntado à revista "Maria". Não fiz nada disso! Como me arrependo. Estou a ver o filme todo e apetece-me voltar atrás e mudar este passado imundo.

Vou ter tirar uma nova carta de condução, pois alterei a minha morada. Fui ao site da DGV e li que não teria que pagar nada, uma vez que esta substituição da carta de condução é devido a alteração de residência. Pode-se ver isso aqui.

Ainda por cima o director é meio parecido com alguém que anda desaparecido, né?


Que sorte, pensei eu! Poupo os tais 19,95€ (gosto deste tipo de preço, lembra-me as camisas em saldo!). Entretanto perguntei ao segurança se era mesmo assim, pois nestas coisas do Estado quando são de borla, desconfio sempre! E ele disse-me que sim, excepto se a carta estiver em mau estado ou plastificada!!!!

Comparar o mau estado com plastificada é um desaforo! Se a plastificamos é para não ficar em mau estado, certo? E se a carta vai para o lixo, qual a diferença de estar plastificada ou em mau estado. Será para emoldurar? Adoro estas lógicas estatais....

Entretanto, como o BI caducou uma semana antes não pude pedir a nova carta.

Eis o meu plano de acção:

1 - Colocar um tacho com água ao fogo e a carta por cima numa qualquer rede, a ver se descola. Se ficar boa, tudo bem. Se ficar pior, que se lixe, passo da categoria "carta em mau estado" para a categoria "carta plastificada" e lá pago a camisa!

2 - Caso resolva não fazer o passo 1 por esquecimento, vou à DGV e se me manderem pagar os 19,95€ peço para ver o suporte legal. Depois de mo mostrarem (quanto tempo levarão???), direi que discordo e peço o livro amarelo das reclamações. Levam-me os 19,95€, mas vão ter trabalhinho a responder aos superiores devido à reclamação. Nesta altura terei os bolsos mais leves e a alma mais aliviada!

Divulguem esta situação aos vossos amigos. Se não enviarem a pelo menos 80% da vossa lista de contactos, a vossa carta ficará plastificada e terão que pagar 19,95€!!!
Sindicalismo

Estou farto de ver sindicalistas profissionais, certamente há muito sem hábitos de trabalho subordinado, no activo sindical há dezenas de anos. Parece que o forno se partiu e temos que continuar levar com a fornada de há 20 anos!
E depois têm um grave problema: preferem deixar um mau trabalhador empregado, quando existe à porta um bom trabalhador desempregado. O emprego é para sempre, seja o trabalhador bom ou mau, baldas ou competente, irresponsável ou esforçado. Mais, se o trabalhador é mau, certamente haverá uma qualquer explicação: talvez mau ambiente de trabalho, quiça traumas de infância ou mesmo um má relação com o dono da empresa (invariavelmente o mau da fita). No Estado a situação ainda é mais complicada, pois os sindicatos insistem em defender de forma igual os trabalhadores que são desiguais. E assim, limitam a motivação dos bons e facilitam a preguiça dos maus. À boa maneira portuguesa....

segunda-feira, 7 de julho de 2003

Beber Vinho

Salazar dizia que beber vinho dava de comer a um milhão de Portugueses.
Hoje os nossos vinhos apostam no marketing, ganham prémios e são bons. Temos boa pinga!
O perigo de o consumo de vinho ser dizimado pelo consumo de cerveja está ultrapassado e se a cerveja é bebida dos mais novos, mais tarde "conhcecem" o vinho e ficam amigos!
A minha questão prende-se com os preços a que os restaurantes vendem os vinhos. Uma garrafa de BSE que custa 3,5€ no José Maria da Fonseca em Azeitão, e 4,5/5€ nos supermercados, nos restaurantes vai para os 10/12€.
Compreendo que os restaurantes ganhem bom dinheiro nos pratos que confeccionam, uma vez que os ingredientes são por vezes rapidamente pereciveis (veja-se o peixe e o marisco) e existe a arte do cozinheiro. Mas, comprar uma garrafa de vinho, pô-la a refrescar meia duzia de horas, abri-la e servi-la, e ganhar mais de 100% com este trabalho mínimo é uma roubalheira e uma condicionante fortíssima a que se bebam vinhos de qualidade nos restaurantes. Dai a opção mais comum: uma cervejinha ou um vinhaço da casa!

Ai vai uma carta para a malta dos Restaurantes:

"Exmos. Donos de Restaurantes e afins

Enquanto Português que me orgulho de ser, considero o vinho parte da nossa herança cultural, e porque não dizê-lo, parte de nós mesmos (pelo menos daqueles que o vazam!).
Os Srs. ganham demasiado com o vinho em relação ao pouco trabalho que têm. Tornando o produto demasiado caro, a roçar a roubalheira, desviam os consumidores para as gamas mais baixas (leia-se vinho da casa) e para a cervejinha.
Desta forma não promovem o bom vinho (com o qual ganhariam mais se baixassem a margem de lucro) e poderão a prazo condenar algum do bom vinho Português e beneficiar o produtores do vinho a martelo.
Mais, enquanto o vinho rasca me dá umas tremendas ressacas, a cervejinha faz-me aumentar a barriguinha! Pensem nisto!
Procurem diminuir os produtos estragados, ganhar clientes para os restaurantes (boa comida, preço acessível, serviço simpático, ganhando pouco de cada vez na óptica de manter o cliente), inovar nos pratos, comprar bons ingredientes (em especial carne e peixe), sobremesas caseiras e deliciosas, etc.
Ser o vinho a recuperar as fracas margens nos outros produtos, não!
Organizem-se e deixem o vinho de qualidade respirar!
Não abafem o vinho...

Cumprimentos vitivinícolas,

Al Cagoita"
O Alcagoita

O Alcagoita é um blog de pequenas coisas que podem fazer a diferença. Assuntos importantes, opiniões, mais ou menos acertadas, e, acima de tudo, uma grande vontade de fazer com que este País vá para a frente.

Hoje em dia fazer política parece aos olhos de muitos como uma forma de conseguir tachos mais rapidamente. Muitas vezes os políticos são todos metidos no mesmo saco, sendo-lhes aplicado por igual o mesmo rótulo: "chulo". Sendo a actividade política bastante denegrida, gostar, melhor, ousar gostar de política, da gestão da coisa pública, é quase pecado. E se a pessoa o faz com regras, sem ceder a jogadas e esquemas, da "forma correcta" ou não é levado a sério ou nunca atinge o poder.

O Alcagoita acredita que o compadrio vai acabar um dia e os partidos terão democracia interna. Nesse dia, valerão as pessoas e os projectos.
O Alcagoita quer contribuir para um Portugal melhor, onde a política e os politícos sejam dignificados.
O Alcagoita procura ser intelectualmente honesto.

Vai uma alcagoita?