segunda-feira, 26 de janeiro de 2004

Até sempre, Féher

Uma fatalidade aos 24 anos.

Até sempre, Miklos!

quinta-feira, 22 de janeiro de 2004

Políticos mal pagos!

Acabei de receber um e-mail com uma parte de um Diário da República onde vem a nomeação de uma jurista para o gabinete do Ministro Marques Mendes. Vai realizar "trabalhos de natureza técnico-jurídica, no âmbito da sua especialidade profissional".
Vai ganhar 3.703,84€ + IVA= 4.407,57€. Cerca de 880 contos brutos.

Há tempos o Dr. Paulo Portas contratou um assessor de imprensa a ganhar cerca de cinco mil euros por mês, ou algo semelhante.

Não questiono estas remunerações, nem a competência das pessoas.

Questiono o pouco que recebem os políticos, que acabam por ser aqueles que metem a cabeça no cadafalso. E no final, ganham quase o mesmo que os seus assessores, que se limitam a executar tarefas técnicas, sem responsabilidades políticas. Não vêm as suas vidas devassadas, não são criticados pelos órgãos de informação, etc.

E estes assessores ganham mais do que os secretários de estado e deputados, ou, pelo menos, andam lá perto.

Qualquer dia quando convidarem alguém para ministro irá responder: "em vez de ministro não posso ser assessor?".

Politicamente este discurso é incorrecto, porque a voz popular diz que os políticos são todos uns malandros e só estão nos cargos para se encherem e ajudar a família.

Este País está um bocado baralhado!!!
Colóquio sobre "As formas de Associação dos Municípios do Algarve"

24 de Janeiro, no Campus da Penha, em Faro. Organização da AMAL.

Vai ser interessante. Vou lá estar!
Mais uma greve à sexta-feira!!!

Estava no quadrante e o Nuno abordou este tema. E é uma questão para reflexão.
Porque razão as greves são quase sempre coladas a um fim-de-semana ou a uma ponte?
Posso estar a ser maldoso, mas que fica muito mal e provoca pensamentos negativos sobre as greves não tenho qualquer espécie de dúvida!

segunda-feira, 12 de janeiro de 2004

Faz hoje um mês....

Que estou na lista de espera do Hospital de Faro para fazer uma artroscopia ao joelho.

quarta-feira, 7 de janeiro de 2004

Porquê tanto alarido sobre as reformas dos Funcionários Públicos?-parte II

Se dois trabalhadores descontam valores iguais de IRS e Seg. Social para o Estado, porque razão um vai ter a reforma a 100% aos 60 anos ou quando tiver 36 anos de carreira contributiva e o outro vai ter que esperar pelos 65 anos para ter uma reforma de 80%?

Cada vez há menos pessoas activas para cada reformado e as pessoas vivem mais anos (felizmente!!! não quero que morram cedo para pouparmos dinehiro!), criando-se uma situação insustentável, quer na Seg. Social, quer na Caixa Nacional de Pensões.

Compreendo o desejo de aumentar a % da reforma nos privados e não diminuir a dos públicos, mas os recursos são escassos.
Ameaças ao Dr. José Vitorino

Goste-se ou não do Dr. José Vitorino, ele tem toda a legitimidade democrática para governar.
A comprovarem-se as afirmações que vieram hoje nos órgãos de informação (vi na SIC e no Região-Sul) é muito grave que um autarca seja ameaçado de morte.

A discussão política faz-se com argumentação, ideias novas, propostas mobilizadoras. Não com ameaças.

Sinto que a população de Faro não está contente.
Sei que a capacidade de comunicar da CM Faro aos Farenses deixa muito a desejar. A mensagem não passa. Há sempre alguém que tem uma estória para contar.

Mas, ameaças.... não!
Projecto vialgarve

Já está criado o site do vialgarve, projecto que agrupa as pessoas da ALTERNATIVA e os que já existiam no vialgarve. Cliquem aqui e poderão aceder ao vialgarve.
Mais projectos estão na manga....
Porquê tanto alarido sobre as reformas dos Funcionários Públicos?

Os vários ses:
- se há anos atrás havia 4 funcionários públicos no activo para pagar a reforma de um na reforma;
- se hoje a proporção é de menos de dois no activo para um na reforma;
- se os privados (CIT) têm reforma aos 65 anos e recebem sobre a média de todos os ordenados, devidamente actualizados, porque haveriam os funcionários públicos de ser uma excepção e terem a reforma a 100% e com 36 anos de idade?
- se há trabalhadores com CIT a trabalhar para o Estado (INE, IEFP, IFADAP, etc), porque têm a reforma diferente da dos Funcionários Públicos, sendo o mesmo patrão?

A tendência será o abatimento das benesses dos funcionários públicos, que hoje não se justificam pois já recebem ao nível do sector privado, passando a estar mais próximas dos indivíduos com o CIT.

E os sindicatos queixam-se do quê? Mais uma greve? DA-SE!

sexta-feira, 2 de janeiro de 2004

Casa Pia e o PS

Estranha-se o facto de só aparecerem nomes do PS ligados a este processo.
Não acredito em monategens feitas por outros partidos, mas sim que a defesa esteja a querer desacreditar a investigação, fazendo parecer que se trata de um ataque político.
E que o acusado que pertence ao PS pretenda fazer crer que o facto de ser do PS seja motivo de acusação.

Se no processo há nomes do PSD e do PP que venham a público!